Fadiga

Sabe, eu ando cansado.

Mas muito cansado mesmo.

Fatigado de toda essa gente,

De todos esses olhos repetidos,

Desses cabelos semelhantes,

Dessas bocas com a mesma cor.

Dessas roupas de mesmo cheiro,

Lavadas com o mesmo sabão.

Mas percebo que não há pessoas,

Não há bocas,

Não há olhos,

Há apenas eu,

Em frente ao espelho,

E ele me diz:

“Me cansei de você”.