Nada disso realmente importa.

Antes de qualquer coisa, é bom começar esse texto com algumas premissas:

  • Não importa quantas pessoas te seguem, até porque, nem Jesus que era LITERALMENTE seguido por 13 pessoas — olha só que pouco — conseguiu fazer com que todo mundo entendesse o que ele tava dizendo e uma vez que o fanatismo "acabou”, ele se fodeu anyways.
  • Não importa quantos amigos você tem nas rede. Ficamos nessa noia de muitos amigos, muitos conhecidos, mas a real é que no fim não vamos conseguir dar atenção nem pra 10% das pessoas que estão presentes nessa lista de amigos (incluindo melhores amigos)
Não importa se as pessoas prestam atenção no que você fala — quem quiser te ouvir, vai te ouvir até quando não for algo pra prestar atenção.
  • Não importa se curtem mais com risadas ou com coração, a reação nunca é e nem nunca será 100% genuína nas redes — eu realmente espero que quando meu amigos falam GRITO eles não estejam de fato gritando.
  • Não importa se sua selfie chega em 50, 70 ou mais de 100 likes. Sejamos bem sinceros que isso não define se você é bonito ou atraente. As vezes é um golpe de sorte, as vezes é um angulo. Sua beleza, autenticidade ou carisma não será definido pela quantidade de likes que tem em uma selfie que você fez pelo menos umas 5 pra sair boa.
  • Não importa se te acham divertido nos posts que você faz. A real é que cada um vai pensar de um jeito e te ler de um jeito, você não tem a obrigação de ser divertido pra todo mundo que te ler e tá tudo bem!
  • Não importa se te acham inteligente nas redes. Se nem as provas do colégio ou faculdade eram capazes de mostrar sua inteligência, não vai ser alguma tirada ou opinião política ou algo do gênero que vai mostrar isso.
  • Não importa se você parece sensual (demais) nas fotos que você faz. As pessoas falarão bem ou mal independente do que você busca transmitir, nada do que falarem muda ou intensifica algo a seu respeito. Isso é algo pra você e tem que ser sempre.
  • Não importa se pensam que você é treteiro de internet, até porque desde quando internet é parâmetro pra qualquer coisa? Se você briga por acredita, ok vai fundo. Provavelmente nada mudará a respeito, sim, mas…. Escolhas são escolhas.
  • Não importa nenhum dos textões que você faz — a gente perde tempo pensando em mil coisas, escrevendo uma serie delas pra quem sabe abrir um debate ou abrir a cabeça e com certeza serão poucas as pessoas que vão ler ou querer saber algo a respeito.

São muitos os exemplos, mas a mensagem que eu quero deixar por trás de tudo isso é: Nada disso realmente importa.

A gente têm vivido uma tendência louca de achar que o nosso comportamento nas redes influencia em alguma coisa e a real é que está todo mundo cagando pra tudo.

E nessas que a gente entra num turbilhão de ações, e como diria a grande visionária Pitty, “nada é orgânico, é tudo programado” e isso faz com que a gente paute toda a nossa vida com base nisso.

Redes sociais não devem ser o parâmetro de sucesso de ninguém, principalmente quando ela não reflete 1/5 da personalidade ou dos pensamentos por trás de cada foto do perfil.

O intuito das redes sempre se interligar as pessoas e mostrar que as vezes alguém distante pode ser muito parecido com você e não um display imaginário onde você mostra o quanto sua vida é fantástica, mesmo não sendo.

A real tudo isso é passageiro, você no precisa fingir que sua vida é maravilhosa, não precisa estar sempre bem nas redes sociais e que as vezes ser vulnerável é o melhor que você faz.

De que adianta se desrespeitar? Vale mesmo chegar a tal ponto que pouco importam as fotos e os posts, e sim quantas pessoas curtiram, ou porque isso não bombou no horário que você programou? Nada vale.

Não serão curtidas, likes, comentários que vão ditar se somos legais ou não. Não há a menor necessidade de ser escravo disso tudo.

Quem estiver interessado em te conhecer, seja lá qual for o nível de intimidade, vai perceber tudo em você, inclusive aquilo que você não transmite via internet.