Ok, respira.

Tem momentos da vida em que a gente só precisa respirar.

É uma onda de coisas acontecendo e a gente se pega preso a uma ansiedade que não faz sentido, na maioria das vezes e não consegue se livrar disso da forma correta.

São as contas pra pagar, o trabalho, o relacionamento, a vida pessoal, o cachorro, periquito e papagaio. Tudo apertando e consumindo, quando vemos esquecemos de fazer o básico, respirar.

A gente culpa a vida adulta, culpa o mundo, culpa uma série de fatores secundários mas na real tem muito da forma que lidamos com as coisas na nossa vida. É importante dar um ar pra tudo, ter aqueles cinco minutos que sempre ouvimos os adultos mais velhos dizerem, mas nunca entendemos.

As vezes é algo até simbólico mesmo, o ato de puxar o ar e deixar ele tomar conta dos pulmões, é nessa pressa de querer ser tudo e fazer tudo que a gente esquece que não há uma cueca por cima da calça e nem uma capa sob os ombros.

Falhamos. Temos medos (inúmeros) e nada disso deve paralisar a gente ou tomar conta do nosso ritmo.

Nem que a força tenha que vir do cu (modo lúdico, não literal — não falo da elasticidade do órgão que suporta as mais diversas coisas) mas é importante nunca perder a fé no caminho. São nesses momentos que descobrimos forças que nem sabemos que existem dentro de nós.

O mundo não vai acabar se a gente parar pra respirar, diferente do que acontece quando a gente não respira. Independente da nossa vontade e da força que colocamos nas coisas, elas tomam o caminho que precisam tomar e não há nada que possa ser feito a respeito.

E você, já respirou hoje? Se a resposta foi não. Fica aqui embaixo o convite.