Frenkie de Jong: o jogador total

No futebol, a Holanda passou a ser conhecida, dentre tantos motivos, personagens e títulos, pelo futebol total, estilo revolucionário e comandado por Rinus Michels, em 1974.

Em meio a tantos câmbios de modelos e sistemas, o jogador, com o passar do tempo, também passou a ser mais híbrido. Na mesma Holanda, Johan Cruijff era o jogador total, chave e engrenagem de um dos melhores times da história do futebol mundial. 44 anos depois, em uma das raízes do futebol total, o Ajax, Frenkie de Jong exibe-se semanalmente. E nada mais simbólico do que recitar no palco que leva o nome do maior atleta holandês da história.

Ainda que tenha sido revelado pelo Willem II, é em Amsterdam que segue rumando para a elite. A cada temporada, o garoto, hoje com 21 anos, amadurece, principalmente com a bola nos pés. Mas por que de Jong é considerado como jogador total

Jogo recepcionado de Frenkie de Jong em seu último jogo, contra a França

Assim como o futebol revolucionário de seu país, o jogador total é, basicamente, mais versátil que o normal, além de manter a regularidade em qualquer setor que atue. E Frenkie o faz com maestria. Atualmente comandado por Erik ten Hag, o Ajax é proprietário de um promissor e invejável material humano em seu plantel. De qualquer forma, não é um problema para o camisa 21. Seja como central, pivote, interior ou playmaker, de Jong segue sendo chave no sistema de jogo de sua equipe. Inegável que seu porte físico e sua idade possibilitam saltos, capacitando-o ainda mais como pivote, por exemplo.

Intercâmbio de sistema do Ajax do 4–3–3 para o 3–4–3

Capaz de ser bastante híbrido, o Ajax pode jogar em sua plataforma base, o 4–3–3, e se defender no 4–4–2, mas é no 3–4–3, dominando a posse, que a mágica acontece. Enquanto os laterais complementam a linha central, Frenkie de Jong retorna e se apresenta na primeira linha de 3, ao lado de De Ligt e Blind. Com isso, ativa seus melhores gestos e oferece as maiores qualidades. Conduz, coordena, transita, recepciona e distribui de forma ímpar. Muito por esses pontos, joga em tantos setores com extrema facilidade.

Muito provavelmente, é a última temporada em que de Jong se exibe nos gramados holandeses. Em conversas constantes com o Barcelona e sendo observado pelo resto do mundo, tudo indica que sua trajetória no Ajax deve ser interrompida. Devido ao sistema base e ideologia, o holandês teve ainda mais facilidade para recitar e afinar seu estilo. Fora da Holanda, o Barcelona é o time que mais se aproxima, também por questões ideológicas e culturais, coincidentemente dadas por Rinus Michels e Johan Cruijff, de seu estilo dentro de campo.

Independentemente do campeonato, time ou setor que atuar, enquanto houver Frenkie de Jong, haverá futebol. E ele merece ser apreciado.

Like what you read? Give Caio Alves a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.