O que é padrão de jogo?

Canal no Youtube: Traduzindo o Tatiquês

Página no Facebook: Traduzindo o Tatiquês

Perfil no Instagram: Traduzindo o Tatiquês

No país onde é normal pedir a mudança de técnico, por mais contraditório que seja, também é normal reclamar que o time não tem padrão de jogo. Ninguém consegue alterar muito do que foi feito anteriormente de um dia para outro em uma só pessoa, imagina, então, em um elenco com cerca de 30 jogadores. Mas quando afinal que um time tem padrão de jogo? Aliás o que é padrão de jogo?

Por exemplo, o Corinthians em 2017 teve um padrão de jogo claro desde o início do ano.

Antes de começar o texto propriamente dito pelo título, é bom ressaltar de que padrão de jogo é diferente de proposta de jogo, que é diferente de modelo de jogo. De forma resumida, proposta de jogo é aquilo o que o time está fazendo de acordo com o placar e/ou a quantidade de jogadores em campo. Por exemplo: se está atrás do placar, a proposta da equipe é propositiva, do contrário, é reativa. Já o modelo de jogo é aquilo o que a equipe toda treina para poder em prol do jogo como um todo. Por exemplo: o Avaí de Claudinei Oliveira treina para que o time procure estar sempre atrás da linha da bola e compactado para que a equipe tenha mais facilidade em contra-atacar com a grande velocidade e efetividade que tem.

Para saber mais sobre as diferenças entre proposta de jogo e modelo de jogo, clique no texto abaixo:

Agora sim voltando à intenção deste texto. Padrão de jogo é o conjunto das ações coletivas que uma equipe faz repetidamente partida após partida. Se algo é repetido jogo após jogo, aquilo se torna um padrão. Mesmo porque padrão é aquilo o que normalmente é realizado, não é mesmo?

Tal como o Cruzeiro de Mano Meneses, as equipes comandadas por esse técnico normalmente apresentam um sistema defensivo compacto e veloz nas coberturas defensivas. Desse modo, um dos padrões de jogo dessa Raposa de Mano é esse.

Aqui vale uma reflexão: se o seu time costumeiramente apresenta as mesmas ações coletivas jogo após jogo, mas ainda não tá vencendo a partida, o que falta nele é padrão de jogo ou efetividade? Tomemos como exemplo o atual Coritiba de Marcelo Oliveira.

Desde o seu Cruzeiro bi-campeão brasileiro, Marcelo Oliveira monta a sua equipe com a intenção de abrir o jogo para cruzar a bola para algum dos muitos jogadores que entram na área adversária simultaneamente cabecear a bola. Foi assim no Cruzeiro, no Palmeiras, no Atlético-MG e, agora, no Coritiba.

O Coritiba de Marcelo Oliveira em 2017.
O Cruzeiro de Marcelo Oliveira em 2014.

As situações, os movimentos e as intenções são as mesmas em todas as equipes que Marcelo Oliveira passa desde o seu Cruzeiro bi-campeão brasileiro. Ou seja, é um dos padrões de jogo do jogo que Marcelo Oliveira busca em suas equipes. Agora, se essa assim como outros padrões de jogo que esse técnico busca são tão efetivos atualmente quanto foram em 2013 e 2014, aí já é outra história. Mas há o padrão!

Agora vale uma reflexão: quando um técnico que altera um jogador do seu time titular para jogar somente determinada partida, o técnico está mudando o padrão de jogo da sua equipe?

Um dos jogadores que normalmente não é titular com o atual técnico do Atlético-PR é Lucas Fernandes. Ele ter iniciado a partida contra o Bahia alterou ou não o padrão de jogo da equipe?

Antes de responder a pergunta vale mostrar o que está sendo considerado como estratégia atualmente. Hoje em dia, alterar um jogador da equipe titular para determinada partida ou até mesmo trocar de posicionamento de um jogador para determinado jogo é chamado como estratégia de jogo. Essas alterações apresentam os mais diversos motivos, como: atacar um jogador com características que o time adversário demonstra mais fraqueza, colocar um jogador que defenda melhor do que outro, ter um jogador mais alto para ganhar as bolas lançadas que caem no setor…

Enfim, por isso que colocar um jogador que normalmente não joga como titular ou, também, alterar de posicionamento ao longo de jogo é tratado como estratégia de jogo. Um exemplo bem recente foi o que aconteceu com Romero no último Corinthians e Grêmio no Campeonato Brasileiro. No começo do jogo, esse jogador paraguaio jogou aberto na esquerda e, ao longo do segundo tempo, ele foi para a direita, lado que o Grêmio estava atacando com mais frequência. E como Romero tem mais capacidades defensivas do que os seus companheiros de posicionamento, foi ele quem foi jogar de extremo direito.

Até o início do segundo tempo, Romero jogou aberto na esquerda.
Já à partir de uns 15 minutos, o paraguaio passou a jogar na direita devido à estratégia de jogo que Carille identificou necessária para ao que a partida demonstrava.

Agora respondendo a pergunta que abriu essa parte do texto: não! Alterar somente um jogador ou colocá-lo em outro posicionamento ao longo do jogo não altera o padrão de jogo da equipe. O padrão é uma ação coletiva que se repete e repete ao longo de um jogo. Se algum jogador passou a jogar naquele posicionamento, e o time continuou apresentando as mesmas ações coletivas, o padrão não mudou! O que mudou foi a característica daquele jogador naquela situação.

Colocar um jogador com característica diferente altera praticamente só o que acontece naquela faixa de campo, mas o todo da equipe não é afetado. Tomemos como exemplo novamente o mesmo jogo anteriormente citado: desde o início do trabalho de Fábio Carrile, o Corinthians apresenta uma situação bem peculiar: a tal linha sustentada. Jogar com a linha sustentada é manter a linha defensiva o máximo de tempo possível próxima e formada. Para tal, os demais jogadores apresentam maneiras para manter o time adversário neutralizado. No caso do Corinthians, os dois extremos abrem mais e, assim, mantém a linha defensiva sustentada. Agora olhe o que aconteceu com a equipe ao ter Romero fora do seu posicionamento na esquerda e, devido à estratégia de jogo, indo para a direita.

No início do ano, o Corinthians se defendia com a linha sustentada e com os dois extremos bem aberto.
Hoje em dia, Romero passou a atuar mais na esquerda, mas devido à estratégia do jogo contra o Grêmio foi para a direita e a equipe do Corinthians manteve a mesma ideia de linha sustentada. Ou seja, é um dos padrões de jogo do time.

Canal no Youtube: Traduzindo o Tatiquês

Página no Facebook: Traduzindo o Tatiquês

Perfil no Instagram: Traduzindo o Tatiquês