A lição que Bel Pesce levou é um recado aos jovens empreendedores

Nos últimos dias, nos deparamos com uma grande polêmica em torno de uma jovem brasileira: Bel Pesce, a “Menina do Vale”. Quem é ela? O que ela fez? Vou sair um pouco do assunto câmbio para tentar explicar e também mostrar que, na verdade, este acontecimento tem relação com o mercado financeiro, inclusive sobre algo que insistentemente já foi falado neste blog.

Isabel Pesce é uma jovem que residiu nos Estados Unidos por 7 anos, tendo estudado no renomado MIT (Massachusetts Institute of Technology) e trabalhado em grandes empresas do Vale do Silício como Google e Microsoft. Para quem acessa seu curriculum no LinkedIn é notável sua qualificação, acima da média para sua idade e para os brasileiros.

Até aí, tudo bem.

O problema é que, após um grande fracasso em sua tentativa de crowdfunding (financiamento coletivo via internet) para criar uma Hamburgueria Gourmet em São Paulo, ela virou, mais do que nunca, centro das atenções dos internautas e da mídia, fazendo com que muitos começassem a questionar e vasculhar seu passado e presente em busca de sua verdadeira qualificação. Descobriu-se que todos os cursos que dizia ser formada eram apenas matérias eletivas, as empresas onde liderou equipes eram apenas estágios remunerados, softwares revolucionários que criou eram apenas singelos HTMLs que transformam letras comuns em letras enfeitadas e por aí vai.

Antes de mais nada: admiro muito pessoas empreendedoras, corajosas, engajadas em buscar algo a mais no Brasil do que simplesmente o “sonho do concurso público”. Empreender aqui é uma das tarefas mais árduas do mundo. Uma vez participei de um evento para empresários em Stanford, CA, onde um dos palestrantes disse que “quem consegue a tarefa hercúlea de obter sucesso — honesto — no Brasil, consegue em qualquer lugar do mundo”. Conheço muitas pessoas, muitos amigos e ex-colegas de trabalho que após grandes idéias, estudo, tentativas frustradas, risco financeiro assumido, processos trabalhistas injustos e muitas noites em claro, atingiram o sonhado sucesso profissional misturado com a qualidade de vida que gostariam.

Agora, aumentar exponencialmente seu curriculum a ponto de iludir seus seguidores e clientes, fazê-los acreditar em sonhos que nem você acredita, inventar especialidades que você (sabe que) não tem para atingir o sucesso desejado, é mais do que propaganda enganosa, é fraude. É muito comum vermos pela internet pessoas se promovendo ao inventar cargos ou especialidades, dando entrevistas ou fazendo palestras com conhecimento próximo do básico ou dentro de um padrão que qualquer um que lê a Wikipedia faria igual.

Vou dar um exemplo no mercado financeiro: “Não Perca! Palestra sobre finanças pessoais e empreendedorismo com Fulano de Tal”. Você vai ao evento e descobre que os conselhos todos resumem-se a: “poupança não é um bom investimento, aplique em tesouro direto e LCIs, que são isentos de imposto de renda. E para organizar seus gastos, coloque as despesas fixas e variáveis em uma planilha excel”. Pronto, estes são os conselhos. É a era do copy/paste ou do Google Search. Pelo amor de deus gente! Tomem cuidado com estes enganadores, os que atualmente são apelidados de “empreendedores de palco”. Viraram uma verdadeira praga no país. Precisamos ficar atentos e dar crédito apenas aos que merecem. Desconfiem dos que passam uma idéia de ascensão meteórica em suas carreiras, dos que usam frases prontas e de efeito como “você pode, siga seu sonhos, o mundo está te esperando” e acredite mais nos que aprofundam-se nas coisas realmente importantes, em idéias que são realmente inovadoras e podem fazer a diferença na sua carreira e na sua vida. Quem já teve a sorte de assistir uma palestra da Fabiana Bergamaschi, diretora da VENAX Eletrodomésticos, sabe do que estou falando. Esta sim foi uma palestra que me agregou conhecimento, motivação, emoção e tudo o que um jovem empreendedor precisa para levantar da cadeira e sonhar, e sonhar alto. Pesquisem sobre o Case da Venax, da Fabiana e sua história de vida, vocês vão entender o que estou falando e tirar o chapéu para esta mulher. Alguém que com uma mistura de ambição, perseverança e humildade atingiu o — verdadeiro — sucesso.

Por diversas vezes, neste blog, alertei e ainda alerto meus leitores e clientes sobre algo parecido que acontece no setor de câmbio: cuidado com os “profetas”. Sim, os “profetas do câmbio” existem, aparecem com frequência na imprensa, esta mesma que acreditou em Bel Pesce, e se vendem como especialistas em algo que eles têm pouco ou quase nenhum conhecimento. Não possuem sequer boa oratória em público, muito menos o conhecimento necessário para ter o diferencial que anunciam, e anunciam como se estivessem reinventando a roda. Como se pudessem prever o futuro do dólar, do euro e da libra. Não podem.

Isto quer dizer que eu, que estou escrevendo este post, posso? Que sei mais que os outros? Que sou superior aos meus concorrentes? De forma alguma. A diferença é que passo de forma honesta até onde meu conhecimento vai, informo com total transparência o que sei e o que NÃO sei. Nunca vou vender uma falsa imagem de meu curriculum a meus clientes. Alias, meu CV está na página principal de minha empresa para todos verem, inclusive com confirmação de skills pelos meus contatos, além de depoimentos de muitos com os quais já tive a honra de trabalhar e aprender. Mas estou sempre aprendendo. E tenho muito orgulho de não ser um “Bel Pesce”. Muito orgulho da maneira que sempre me apresentei em meu networking, mostrando que tenho sólido conhecimento nas coisas que eu realmente sei e deixando claro onde posso e não posso ter convicção sobre os questionamentos que me fazem quando necessitam meu auxílio. Posso não estar hoje lecionando palestras e opinando em colunas sociais, mas estou sempre estudando e fazendo o mais importante: assessorando meus clientes e proporcionando a eles melhores negócios.

Existem pessoas que estão alguns degraus acima de mim em minha área? Claro que sim, e isto é ótimo. Sempre precisamos nos espelhar em cases de sucesso para queremos melhorar e conquistar o sucesso dos que voaram bem longe. Minha empresa é nova, tem menos de 1 ano, falta muito para sua Missão ser atingida, mas acredito que está no caminho certo.

Lembre-se: “Não queira ser uma referência antes de ser uma.”

Tenham todos uma ótima tarde.

Att

Gustavo Candiota

Diretor GC Prime

Like what you read? Give Gustavo Candiota a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.