Viagem no tempo

Hoje, 21/10/2015, é o dia que o McFly e o Doc Brown voltam para o futuro na máquina do tempo, o carro voador DeLorean e aí tentam consertar coisas, mudar coisas, mexendo o mínimo possível nos acontecimentos daquele presente, para não destruir o contínuo espaço-tempo e todas essas coisas difíceis de explicar — e mais difíceis ainda de entender às 3h da madrugada, escrevendo pelo celular, deitado na cama e caindo de sono.

Acho que todo mundo em alguma fase da vida sonhou em poder voltar no tempo. Mais do que poder ir pro futuro, o desejo maior das pessoas é sempre tentar consertar o passado, os erros, os infortúnios e evitar que tragédias tivessem acontecido, apostar em números da loteria e ficar bilionário.

Eu se pudesse voltar no tempo tentaria mudar algumas coisas em mim mesmo, não as pessoas, não os acontecimentos, mas a minha forma de abordar e de reagir a eles. A imaturidade é um mal necessário. Sem a droga dos erros eu não seria a pessoa que sou hoje.

Os erros na vida são tão ou mais necessários que os acertos. Fazer burrada, falar besteira pra pessoas que amamos, beber demais e não lembrar sequer aonde moramos… Fazemos essas merdas o tempo inteiro, mas com o passar do tempo cada vez menos.

Se uma máquina do tempo fosse inventada hoje, só poderíamos viajar no tempo e voltar sempre para a data de hoje. A data de hoje seria o início do buraco de minhoca. Não dá pra voltar pra antes disso, não dá pra tentar consertar todas as merdas que você já fez. Aceite e agradeça por isso. Elas aconteceram porque tinham que acontecer e você não tem o poder de consertar as coisas. E algumas coisas não tem porquê serem consertadas. É como uma folha amassada, por mais que você tente desamassá-la, ainda ficarão as marcas do que aconteceu.

A única viagem no tempo possível é para o futuro, a cada segundo que passa estamos mais à frente. Cada segundo a mais é um a menos. Cada dia a mais é um a menos. Cada ano a mais é um a menos. Até chegar a hora que o seu tempo irá parar. Pode faltar um século. Podem faltar 10 minutos. Você não tem como saber. Apenas divirta-se nesse DeLorean que é a nossa vida real.