O Brasil nos obriga a beber…

Calma. Não pense o leitor que este jovem escriba é um alcoolatra, muito longe disso, aliás — raramente consumo uma lata de um mero energético. Nesta era de redes sociais, onde a zoação e o bom humor prevalece, a acumulação de notícias ruins é completada com a frase “O Brasil me obriga a beber”. Todavia, uma página no Facebook que leva a frase como título deixa claro na descrição um motivo um pouco diferente: “mostrar as peculiaridades do nosso país maravilhoso e falar sobre bebidas em geral”. Mas fato é, e qualquer um tem convicção, que a solução pra afastar e esquecer tanta notícia ruim que nos cerca é enchendo a cara.

Mas porque o Brasil nos obriga a beber?

Deputados trocando gentilezas na votação que safou Temer

Pela bandalheira que nosso país está virando. O Congresso Nacional, a tão aclamada “casa do povo” virando um puteiro de ladrões (que me perdoem os puteiros que são mais honestos que o Congresso, infinitamente) ao inocentar na cara dura um presidente que, mesmo com as provas escancaradas em nossa fuça de uma tramoia para comprar o silêncio do presidiário ilustre que um dia dizia que “o nosso povo merece respeito”, teve sua investigação barrada pelos seus conchavos que bradaram que “não votam com comunistas”, “o presidente só pode ser investigado depois do seu mandato”, trocando empurrões, fazendo tatuagens e outras baboseiras mais. Pior que isso, são as tais “reformas” que querer botar na buzanfa do povo. Até mesmo o Tiririca, talvez o único que dê pra levar à sério nesta lama, está furibundo da vida e está pensando em largar a política. Olha o ponto que nós chegamos, minha gente! Nem mesmo a Lava-Jato, colocando às claras políticos, sejam eles do PMDB, PT, PSDB, PP, PQP e afins, que até outro dia nós votamos estavam rindo da nossa cara. Será que ainda vale a pena confiar na política? Sei não…

“Cabô? Nãããããããããão!”

E o nosso Rio de Janeiro, hein? A Cidade Olímpica de um ano atrás está um caos! Estado quebrado até o talo, policiais morrendo a cada dia, os que estão vivos vão para o combate sem saber se voltarão pra casa, com equipamentos frágeis e velhos, corporação cada vez mais reduzida. E tem mais: servidores sofrendo sem salários, endividados, passando necessidade, hospitais capengando, UERJ respirando por aparelhos, crianças sendo mortas a esmo… E o nobre governador, o que faz? Gasta QUATRORZE MIL num spa. Pra piorar, o ex-bispo que o escriba votou pra governador e que hoje é prefeito resolveu tirar metade da verba do carnaval pra “investir nas creches”, jogando a opinião pública contra a cultura. As escolas — que convenhamos, também não se ajudam — tiveram que apelar ao governo federal. Pelo visto, vão ficar só na promessa…

Pode acreditar, ainda tem mais!

Márcio Araújo, el intocable

Até o futebol não escapa dessa lista de reclamações. O time rubro-negro que um amigo meu é torcedor tem ido mal das pernas. O dito “melhor elenco do Brasil” tem jogado cada vez mais acovardado, o “save Zé Ricardo” perdeu a mão do comando faz tempo e sua teimosia fez explodir a paciência do torcedor: troca volante aqui, outro ponta aqui, mais um lateral acolá… mas aquele “meu 10 veste 8”, o responsável pela maioria das falhas, segue intacto no time titular. Pra piorar, a diretoria boa de finanças acha que tá tudo bem, que a derrota é “normal”. O descontamento não é só do lado de cá, temos um São Paulo nas duras penas pra fugir do rebaixamento e o Inter penando na segundona. E completando a paçocada: o Gonçalense, que até outro dia estava indo bem na Série B1 das terras da Guanabara, voltou a declinar.

Meu Deus! Meu Deus! Onde a zorra vai parar? Esse Brasil nos obriga a encher a cara até ficar de porre, porque do jeito que está… duvido você não tomar uma!

Sai de baixo!!!