As infinitas possibilidades da palavra

Por: Fabi Soares


Eu escrevi sete cartas de amor no último dia dos namorados. E não, eu não tenho sete namorados, mas sou completamente apaixonada pela palavra. Resolvi me lançar no desafio criativo de ajudar alguns casais apaixonados a escreverem as suas cartas de amor.

Eu escrevo desde que me entendo por gente e trabalho com isso há muito tempo. Durante meus anos de redatora fui descobrindo que o que eu fazia era fácil pra mim (na maioria das vezes), mas não para os outros. Entendi que não é nada fácil achar as palavras certas para dizer exatamente aquilo que há na cabeça. Aposto meu dicionário que você já passou por isso.

Um dia você parou diante de uma tela em branco sem saber o que colocar naquele e-mail para o cliente, dizendo que ele estava errado da maneira mais profissional possível. Ficou em dúvida na ordem das palavras na hora de postar alguma coisa nas redes sociais. Se sentiu completamente impotente na hora de dizer para alguém que o amor era infinito e que você queria que fosse pra sempre, mas sem parecer muito desesperado.

Esse nervosismo todo diante da palavra não acontece porque é difícil escrever, mas porque a palavra tem infinitas possibilidades. É como uma criança em uma loja de brinquedos: há tantas opções que você fica ali imóvel, deslumbrado com a grandeza de tudo e com medo de fazer a escolha errada. Mas no mundo das letras não há escolha errada, há apenas caminhos diferentes.

A palavra dá vida ao inanimado, à pessoa do seu lado na lanchonete, ao sentimento de domingo de manhã chuvoso. A palavra dá forma ao mundo. Por exemplo, a imagem abaixo pode ser um chapéu.

Mas se você disser que é uma cobra que comeu um elefante, então vira uma cobra que comeu um elefante. Basta você dizer, basta você se apropriar da palavra e você pode transformar um pequeno mundo em pura poesia.

Imagem tirada do livro O Pequeno Príncipe. ❤

As marcas, por exemplo, também são capazes de transformar a palavra em algo além da publicidade. Podem se apropriar de um conceito e contar uma história inteira capaz de encher o mundo das pessoas de inspiração. Isso é storytelling.

A palavra também é infinita no tempo. Não foi a toa que a humanidade começou uma nova era no minuto em que aprendeu a desenhar na caverna, a criar um sistema de linguagem nas paredes das pirâmides. Quando o homem aprendeu a escrever e desenhar, ele aprendeu a contar histórias e a construir uma memória infinita, que vai muito além do corpo.

Cartas de amor são infinitas possibilidades de amar e de tornar aquele amor eterno. Em um pedaço de papel se dá nome a tudo contido do lado de dentro do peito para depois oferecer de presente para o outro. E esse mesmo pedaço de papel, no futuro, se torna uma caixa de pandora onde o sentimento vive eterno. Basta abri-la e tudo volta.

Neste dia dos namorados, eu escrevi em nome de um casal prometendo amor eterno*, de outro que apenas queria dizer que era só o começo e até escrevi pra quem não era um casal, mas que precisava entrar em um relacionamento sério consigo mesmo**. Todas as palavras vieram de mim, mas todo o sentimento veio deles. Um exercício que foi além da minha capacidade linguística e chegou na minha capacidade de empatia. Que me colocou no lugar do outro e me permitiu ver o mundo com seus olhos, de experimentar o amor de outro coração.

Veja só como essa tal de palavra é tão maravilhosa. Além de escrever cartas de amor, contar histórias e eternizar a memória, ela também aproxima pessoas. E você nem precisa ser um profissional das letras para descobrir isso, basta escrever na sua rede social e você vai ver como sempre tem alguém do outro lado pra se conectar com você.

Basta uma só palavra para o seu mundo todo mudar de lugar e você se sentir mais perto de alguém. Experimente essas possibilidades, do seu jeito e com suas palavras. E lembre-se: não há jeito errado, apenas jeitos diferentes.

Vai que a palavra é toda sua.

Sobre a autora

Fabi Soares mexe com as palavras. O propósito dela é empreender e colaborar criativamente e ela faz isso criando conteúdo para marcas (texto, vídeo e imagem), escrevendo para agências de publicidade e alimentando 3 blogs pessoais que somam 300k acessos. E às vezes ela escreve cartas de amor para desconhecidos. www.fabisoares.com


Duas cartas de bônus :)

*Nunca imaginei que um dia ouviria meu coração bater em outro peito. É como eu me sinto ao deitar abraçada com você. É o que acontece quando a gente entrega o coração para alguém. Você tem o meu e eu te digo isso todos os dias em forma de eu te amo. Parece banal depois de 5 anos dizendo as mesmas palavras, mas é proporcional ao amor que eu sinto por você. É diário, é desde o dia 20 de maio de 2010 e é pra sempre.

Quero dar a volta no mundo com você. Quero multiplicar todas as viagens que já fizemos pelo resto de nossas vidas. Quero envelhecer fazendo conexões aéreas ao seu lado. Quero continuar voando contigo e ver nosso amor completar um ao outro. A sua metade advogado me ajuda a ser mais precisa, a minha metade publicitária te dá uma pitada de criatividade. A minha parte melosa e cheia de carinho, derrete a sua parte mais gelada igual fogo. Quero pra sempre você ao meu lado me fazendo inteira. Me fazendo ser uma versão cada vez melhor de mim mesma.

Você já faz parte do meu eterno. Tudo que vivemos está tatuado no meu peito e não tem como desfazer. E eu nem quero que se desfaça. Quero te guardar pra sempre aqui dentro. Ser a sua parceria. Uma mulher capaz de segurar sua mão nos saltos mais arriscados, de caminhar os dedos nos seus cabelos por muitos domingos de manhã, cada semana em um canto do mundo.

Não sei aonde estarei anos a frente, se o mundo vai estar numa boa ou se o Brasil foi hexacampeão. Não sou adivinha. Mas eu tenho uma certeza absoluta sobre os meus dias futuros: você está presente em todos eles. Esteja eu aonde eu estiver. Quero você comigo. Eu, Camila, quero passar o resto dos meus dias com você. Segura a minha mão e vem comigo?

Com amor infinito,

Camila.


**De todas as mulheres que eu conheci no mundo, você é minha preferida. Você aí, neste dia, nesta data, pisando sobre este chão com todas as suas inseguranças e com todos os seus medos. Aqui do futuro eu piso em um chão mais certo, com uma confiança erguida em muro de concreto que ainda é apenas um muro de arrimo diante de você. Seu muro não precisa de apoio para se sustentar, mas você ainda vai descobrir isso. Não tenha pressa.

Sei que pedir calma é muito para um coração selvagem como esse aí dentro do seu peito, mas entenda que corações são como passarinhos. Há espécies que constroem raízes em casas de barro, outros que jogam o filhote do galho pra aprender a voar rápido e outros tão selvagens que nenhum biólogo foi capaz de classificar. O teu é deste que foge de biólogos e despenca da árvore porque não tem paciência de esperar pelas próprias asas. Tenha calma, Iolanda.

Faça as pazes com o tempo. Pare de exigir que ele seja o que ainda não pode ser. Na hora certa você vai ser capaz de se olhar no espelho e ver o tanto que o seu talento é capaz de te levar para qualquer lugar. Vai perceber que a incerteza do futuro, que hoje parece um enorme dragão, não passa de uma menina amedrontada que acabou de compreender a grandeza da fé em si mesma. Acredite mais no que você é capaz de conquistar e realizar com as próprias mãos. Paulo Leminski já dizia que isso de ser exatamente quem se é ainda vai nos levar além. E ele está certo.

Seja paciente também com o amor. Ele é ainda mais arisco do que o tempo. Ele ignora horas, dias e até regras do destino. Ele faz o que quer e um dia ele vai te encontrar. Eu aqui do futuro te garanto isso porque o vi com meus próprios olhos e já o beijei daquele jeito que você já sonhou. E te digo: a espera fez tudo ser ainda mais doce. Verás. Te prometo também que você ainda vai entender o prazer, vai experimentar o doce sabor de um orgasmo com amor. Mas antes disso é preciso compreender que isso é coisa rara, que há mulheres que passam uma vida inteira sem nem chegar perto disso. Você com certeza não será uma delas.

Como eu tenho tantas certezas? Basta se olhar no espelho, Iolanda. Olhe nos seus olhos e veja tudo que você já conquistou até hoje. Quantos dragões você já domou, quantos amores você teve a sorte de escarpar (porque alguns não valem mesmo a pena), quantas cidades você já conquistou. Olhe de novo nos seus olhos e perceba como você é incrível. Seu corpo já enlouqueceu e ainda vai enlouquecer muitos homens e afagar alguns poucos e bons. Seu sorriso anima qualquer coração morno, seu estilo é original, você é linda. E ninguém precisa te dizer isso pra você começar a acreditar. Afinal, o que a gente colocar dentro do nosso coração não precisa de palavras, só de cuidado.

Então coloque tudo isso no seu coração. Regue e ilumine diariamente e leve com você para onde você for. Declare o seu amor pela Iolanda todos os dias, começando neste dia dos namorados. Entre em um relacionamento sério com você mesma. Comece a ser a sócia e a parceira que você quer ser para alguém um dia, mas seja só para você. Alguém capaz de ter fé e apoiar todos os seus saltos para o futuro, capaz de amar forte, capaz de assistir netflix e rir alto tomando vinho ou de dançar a noite inteira como se ninguém estivesse vendo. Aos poucos você vai descobrir como você é a sua melhor companhia. E quem sabe, um dia, alguém não tenha a sorte de descobrir isso também, junto de você. Eu tenho a sorte de já saber disso tudo, você ainda vai chegar lá. Regue diariamente com paciência.

De alguém que te ama muito, com calma e coragem,

Iolanda de 2020.

Like what you read? Give Clube da Casa a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.