Sobre significado

Tem momentos que você só para e pensa… Porra, eu tenho 15 anos. Sou jovem, tenho energia, um monte de tempo livre, uma mente inquieta. E o que eu faço com isso? O que posso fazer? Sério… Porque se você não fizer alguma coisa significativa, algo que realmente queira, que tenha mesmo um valor para você, se não fizer isso enquanto é jovem e tem criatividade e tempo, então quando?

Mas o que? O que é realmente significativo para você? E como pode externar isso?

É tão merda como o mundo já tem um padrão de vida. E não tem como lutar contra isso, porque se você não fizer essas coisas, você não é capaz de viver. “Todos são livres para fazer/ser quem/o que quiserem”, eles dizem. “O destino é você quem faz”, eles dizem. “O mundo é seu”, eles dizem. Essas coisas só são verdadeiras até certo ponto. A liberdade só é real até certo ponto, porque você pode chorar e espernear, mas os padrões estão aí. O que quero dizer com “padrões” é: família, escola, faculdade, trabalho, uma pitada de vida social. Sobre isso você não tem poder; não tem poder também sobre as oportunidades e os imprevistos. Você pode largar a escola para tentar alcançar seu objetivo de ser um pintor revolucionário que quer mudar o mundo mostrando, através da arte, que existem diferentes perspectivas e todas elas são lindas e válidas e merecem apreciação, reconhecimento? Ora, pode. Mas você vai mesmo ter sucesso? Nessa sociedade, dificilmente. Dificilmente vai até conseguir se sustentar com isso, porque as pessoas não dão valor a essas coisas. Você pode desistir da sua faculdade de medicina para ser um mochileiro que viaja pelo mundo enriquecendo seu ser com paisagens, culturas e aprendizados que nenhuma faculdade poderia te dar, descobrindo a si mesmo e a vida? Será que pode? Você pode deixar de lado toda a estrutura de vida perfeita criada pela sua família para ser uma escritora que leva verdade, conforto e lições trazidas de experiencias reais para as pessoas, que as causa questionamento, empatia e emoção, que leva através de seus textos sinceridade e coloca seu coração em cada letra, porque isso é o que há de mais importante para você?

A vida é cheia de possibilidades. Há tantos caminhos a seguir. E a medida que crescemos todos eles se estendem diante de nós, formando um emaranhado de fios coloridos de uma forma que, em algum momento, você nem consegue mais diferenciar qual é qual, quanto mais o bom do ruim. Existem muitos sonhos na sua cabeça, mas a realidade está sempre atrás da porta, sussurrando. E, principalmente se você é um tanto pessimista como eu, vai saber que muitos desses sonhos abandonamos porque temos noção que são inalcançáveis. Como o de mudar a visão de mundo através da arte, o de descobrir a si mesmo através de experiencias e viagens, e o de tocar corações com palavras.

Isto aqui está longe de ser um texto motivacional. Eu definitivamente não vou terminar com um “não desista, porque tudo é possível”. A verdade é que o mundo caga para os significado das coisas. Ele ri na cara dos seus sonhos, das suas ideias, e da bondade do seu coração. Ele não liga para a sua sinceridade, para o seu interesse e para a sua dedicação. Quisera eu mais pessoas pensassem como nós, desviassem seu olhar do padrão que a sociedade colou nas testas de todos e tentassem dar valor ás ideias que poderiam ser capazes de mudar isso. Mas o universo das iniciativas não tem espaço, porque felicidade, satisfação e significado não dão dinheiro.

Ter consciência de toda essa merda desanima. De que adianta ter uma mente inquieta, um coração quente, dedos sábios, olhos astutos, uma boca inteligente… Do que adianta tentar ser alguém que tenta passar algo de importante para as pessoas se quando você o faz te olham como se fosse um maluco? Porque quando você fala sobre culturas diferentes num almoço seus parentes fazem piada. Porque quando você expõe seus pensamentos sobre o casamento sua mãe só te diz que “vai chegar sua hora”. Porque quando você posta uma foto simbólica e artística as pessoas não entendem e te chamam louco e esquisito por tentar se expressar. Entende? Existem pessoas inteligentes e sensíveis por aí, existem muitas delas. Mas a maioria é só um bando de ignorantes que acham que um texto são só palavras entediantes, um desenho são só rabiscos e pensamentos só servem para decidir se vão virar para a esquerda ou para a direita.

“Mesmo que seu objetivo seja alcançar o mundo e ele não te veja, mesmo que queira se mostrar verdadeiro e eles te chamem louco, mesmo que tente ser significativo e ninguém te entenda, não desista”. É, bom, você pode pensar assim. A gente é, na verdade, bem trouxa. Eu sou. Como eu disse, tenho 15 anos e todos esses pensamentos na cabeça. Poderia estar tentando espalhar isso ou, sei lá sabe, fazendo qualquer coisa que não fosse apenas guardar ressentimento por não poder me expressar. Mas a ideia de que mesmo se eu tentar explicar, eles não entenderiam… Isso é real e acontece o tempo todo. Então, tendo noção de tudo isso, de onde devíamos tirar coragem para nos mexer e correr atrás? Eu poderia começar já a procurar meu caminho, o fio no meio do emaranhado que me leva para a direção que eu quero, a direção que me faria a grande escritora que espero ser. Você também poderia dar um jeito de expor sua arte, ou de conhecer lugares diferentes. Mas como? Isso não está nos padrões, então ninguém sabe nos dizer. E assim é tão mais difícil. Por isso a maioria de nós simplesmente vai desistir, achando que o melhor é aceitar, fazer sua faculdade, se enfiar num escritório e pronto. Não é o que todos fazem? Não é o querem que façamos?

- mial