O Desafio do Passinho

Durante muito tempo o funk foi e ainda é muito criminalizado por olhares preconceituosos que gostam de associa-lo à violência ou ao tráfico. Porém, é indiscutível o poder transformador que ele tem na vida dos jovens, ainda mais os de periferia. O Desafio do Passinho decidiu explorar esse lado da dança e utiliza do Funk para trabalhar a cultura entre os meninos e meninas da periferia do Rio de Janeiro.

O projeto acontece nas Escolas Municipais que atendem os morros do São Carlos, Mineira (Catumbi), Complexo dos Macacos (localizado no bairro de Vila Isabel) e Lagunas da Pavuna. Seu desenvolvimento se deu dentro do Projeto Bairro Educador (2012) e no Programa Rio+Social (onde houve uma adaptação, ganhando o nome: Vem Ni Mim Que Eu Sou Passinho), a partir de uma parceria entre a equipe de campo do Instituto Pereira Passos e a prefeitura do Rio de Janeiro (Secretaria Municipal de Educação — SME e Secretaria Municipal de Esportes e lazer — SMEL).

A ação cultural tematiza a dança do Passinho como forma de expressão corporal e sociocultural, não apenas se baseando nos desafios de dança, mas voltando o olhar para a busca das relações interpessoais entre os diversos atores do ambiente escolar, potencializando as atividades pedagógicas e legitimando essa dança como algo para além do “ser favelado”, revelando o Passinho como expressividade da linguagem corporal.

O Desafio do Passinho acontece nas escolas através de debates sobre os problemas cotidianos do dia a dia, onde eles propõem como o funk pode ser uma ferramenta de transformação. Há também provas eliminatórias, onde as turmas escolhem dançarinos para representar as suas escolas nas batalhas finais. Há três categorias, o Style (4 a 9 anos), o elite (10 a 14) e o embrasado (de 15 em diante).

O evento tem um poder de integração muito grande na vida dos jovens estudantes e estimula neles uma consciência social que o faz se tornar responsável pela comunidade onde vive se preocupando como pode se manifestar culturalmente e como pode transformar a realidade onde vive, denunciando preconceitos e injustiças. O Desafio do Passinho é uma oportunidade de vivenciar uma competição cultural contextualizada, despertando e enaltecendo o interesse nos estudos e na permanência interessada dentro da unidade da escolar.