Dezembro que chega e se vai

Quando dezembro chega

Uma energia ímpar me invade

Vejo tudo, e todos, com mais calma

Enquanto o mundo se acelera: o passo, os emails, a cidade

Paro!

Dou férias pro corpo, mas ativo a alma

Quando dezembro toma conta das ruas

Pintado de vermelho, todo iluminado

Revisito sonhos e incorporo a eles novos anseios e bravuras

Enquanto dezembro se vai, o que vem são expectativas

Um feliz novo ano! Novas alternativas

Ainda enquanto dezembro, prevejo janeiro

Um período de partidas, de novidades e do que fica

Dezembro se vai

Um ano novo, iniciações…

Janeiro é, sobretudo, o mês das frustrações

Os sonhos, as novas possibilidades e investidas

Olho pro relógio: agora? Onze horas. Daqui a duas, uma

O mundo inteiro comemora

Mas na verdade, nada muda!