Na estação do acaso

Durou quatro estações

Não eram estações do ano, eram as paradas do trem

Quando ela entrou eu já estava lá e quando ela se foi, senti como se não tivesse mais ninguém

Foram apenas quatro estações

O trem estava cheio de corpos, faltavam corações

O meu acelerou enquanto ela esteve ali

Poderia ter durado uma vida inteira, mas foram só quatro estações

Logo, a perdi

Parecia infeliz, olhos baixos, Não se via amor

Quando a estação Tristeza chegou, percebi que iria

Não perdi aquela chance, corri… entreguei-lhe um abraço e perguntei seu nome

Dona Maria, ela respondeu

O abraço foi longo e a Tristeza passou

A próxima era a estação Esperança

Na Esperança Dona Maria se despediu

E entendi que tinha mesmo de ir

Foi assim, tão simples, que Estação do Acaso

Olhei pra dentro, de mim, e de lá, fortalecido

De volta consegui sair