Facebook: por que tantos amigos?

Uma nova perspectiva.

Acordar e abrir os olhos. Logo em seguida, apalpar o celular que está no criado mudo bem ali ao lado e ter os olhos inundados com as notícias diárias da manhã. Num primeiro momento, as pupilas, que não estão acostumadas com tanto claridade, têm dificuldade em focar nas letrinhas miúdas. E — nossa! Quantas fotos foram postadas, posts compartilhados e solicitações de amizades enviadas depois que você adormeceu!? Inúmeros.

Chegar na faculdade ou no trabalho, abrir o Facebook e, novamente, rolar a timeline até o seu professor ou chefe te olhar de cara feia e você voltar ao que estava fazendo.

Esse é um hábito que a maioria de nós tem hoje em dia.

E quem nunca passou por isso, que atire o primeiro like

Tá, que o mundo tá todo conectado você já sabe. E de fato isso é muito legal! Mas talvez o que você ainda não tenha se dado conta é que as chamadas redes sociais têm se especializado cada dia mais em prender seus usuários dentro de seus sistemas. Elas perceberam que o cérebro humano funciona através da recompensa imediata e que, se isso for bem trabalhado e estruturado, elas podem ganhar cada vez mais grana.

O lance é que hoje a maior rede social do mundo, o Facebook, trabalha pra sempre te mostrar o que existe de mais “relevante” naquele momento. Dentre as inúmeras páginas que você curte e as centenas (ou são milhares?) de amigos que você tem, ele seleciona o que considera ser o mais relevante. Mas, pense por um minuto: quantas daquelas pessoas são realmente suas amigas?

Sempre me deparei com uma enxurrada de posts e likes na minha timeline do Facebook. No começo achava legal, a recompensa imediata que aquilo traz é muito boa. Mas, nossa! Quanto tempo aquilo me tomava!

Estudos comprovam que a quantidade de pessoas que um ser humano pode manter relações é de 150. E quando consideramos aqueles amigos que são mais próximos, esse número cai drasticamente: apenas 5. Quer ver? Tente pensar em mais de cinco pessoas que são realmente suas amigas. Tenho certeza que esse número não vai se estender muito.

Então por que diabos temos tantos amigos no Facebook?

Parece normal que sempre que alguém nos pede uma solicitação de amizade nós aceitemos — afinal, que mal tem nisso? “Esse maluco não tá me mandando solicitação de amizade do nada, deve me conhecer de algum lugar.” Será?

Passei a me policiar e a verificar com quantas pessoas eu de fato mantinha contato no Facebook, além de quantas delas postavam alguma coisa que realmente me interessava. Acabei percebendo quatro coisas importantes:

1. Eu uso o Facebook muito mais para ler notícias do que para me conectar com amigos.

O Facebook meio que se tornou uma central de notícias. É muito mais cômodo entrar nele e saber notícias de todo o mundo do que pular de site em site atrás dessas informações.

2. Mantenho relação com menos de 5% das pessoas que são minhas amigas na rede social.

Me vi com muitos amigos e isso parecia mesmo ser bem legal. Mas, olhando pragmaticamente, não falava com quase ninguém dali. Ninguém é capaz de manter amizade com tantas pessoas assim.

3. Esqueço o que curti a menos de 3 minutos atrás.

É tanta foto, é tanto post, é tanto compartilhamento, é tanta informação que não há pessoa no mundo capaz de assimilar aquilo tudo. E, no fim das contas, por que clicamos no botão de like?

4. Não conheço grande parte das pessoas com quem tenho amizade.

Nunca tinha parado pra perceber a quantidade de desconhecidos que tinha como amigos. Sério! Pessoas que nunca vi na vida estavam ali.


Desde então passei e excluir as pessoas com quem eu não mantinha nenhum contato, porque percebi que isso estava me fazendo mais mal do que bem (e estudos mostram que isso realmente acontece).

E o pior de tudo é que o Facebook sabe como te prender lá! Quanto mais amigos você tem na rede social, a chance de você ficar mais tempo descendo a timeline é maior e, quando você menos perceber, seu dia foi embora. No fim das contas, a tão trabalhada timeline é um recurso que te traz uma felicidade instantânea, porém depressiva.

A real é o Facebook é uma excelente rede social, porém deve ser usada conscientemente. Ter menos amigos é apenas uma das formas de evitar um boom desnecessário de posts e fotos felizes do chá de bebê da irmã da sua amiga. Ser for usada de forma eficaz, essa rede social pode ser muito efetiva pros negócios, para manter amizades distantes e até mesmo para namorar.

Comece hoje! Dá um trabalhinho chato fazer uma limpa no Facebook (até nisso eles pensaram em dificultar), mas tenha certeza de que valerá a pena.

Por aqui, estamos em 478 — e abaixando…


Kiepher Kennedy

Finanças ConcentraDF 2016