O que o Corinthians-Guarulhos terá pela frente na Superliga Masculina de Vôlei

Crédito: Fábio Costa/Corinthians-Guarulhos

O Corinthians-Guarulhos está garantido na temporada 2017/2018 da Superliga Masculina de Vôlei. A vaga foi conquistada graças ao título da Taça Ouro, disputada no Rio de Janeiro entre os dias 11, 12 e 13 de agosto. O Timão foi campeão com sofrimento, após perder na primeira rodada para o Caramuru/Castro-PR por 3 sets a 2. Para ficar com a taça, era necessário ganhar os dois próximos jogos por uma boa margem e torcer por alguns resultados. Deu certo: venceu o Rádio Clube/AVP-MS por 3 a 0 e superou o anfitrião Botafogo por 3 a 1, terminando como líder da competição em tiro curto.

Classificado para a Superliga Masculina, ficam as perguntas para o futuro… O que esperar do Corinthians-Guarulhos na competição? O que esperar dela? Quais serão os adversários?

Então, o Timão entra em um terreno que tem sido dominado amplamente pelo Sada Cruzeiro-MG. Assim como o Coringão, trata-se de um time de camisa, com forte torcida. E que nos últimos anos, não deu nenhuma chance para os adversários na Superliga Masculina.

A equipe mineira é a atual tetracampeã da competição, chegando em todas as finais nas últimas sete edições da Superliga Masculina, com cinco taças conquistadas e dois vices. Essa é a hegemonia que o Corinthians-Guarulhos enfrentará a partir de agora.

Crédito: Fábio Costa/Corinthians-Guarulhos

O Sada Cruzeiro continua forte, mesmo perdendo uma das principais peças do elenco: o levantador William, campeão olímpico com a Seleção Brasileira no Rio 2016, que foi para o Sesi-SP. O jogador foi vital em todas as conquistas do time mineiro, mas decidiu partir para um novo desafio. No lugar dele, chegou o argentino Nicolás Uriarte, com experiência no vôlei europeu.

O novo time de William, o Sesi-SP, fez uma renovação de elenco e contratou um novo técnico: Rubinho, auxiliar de Bernardinho durante quase duas décadas na Seleção Brasileira Masculina. Além do levantador tetracampeão brasileiro, a equipe paulista — uma das duas únicas a vencer o Sada Cruzeiro em uma decisão de Superliga — terá mais três medalhistas de ouro no elenco: o ponteiro Lipe e os centrais Lucão e Douglas.

Outro time com campeões olímpicos é o Funvic Taubaté, que tem o oposto Wallace e o ponteiro Lucarelli no elenco. Na temporada passada, o time paulista chegou à final em jogo único da Superliga Masculina, mas perdeu para o Sada Cruzeiro por 3 sets a 1.

Crédito: Fábio Costa/Corinthians-Guarulhos

Além do Corinthians-Guarulhos, há outro time como novidade na próxima edição da Superliga Masculina, chegando com nomes tarimbados. Treinado pelo bicampeão olímpico Giovane Gávio, o Sesc-RJ é mais uma equipe com campeões olímpicos no grupo, como o central Maurício Souza e o ponteiro Maurício Borges, além do líbero Tiago Brendle, um dos sucessores de Serginho — do Timão — na Seleção Brasileira.

A lista de adversários do Coringão não para por aí. Tem o Vôlei Renata/Campinas-SP, com o oposto Leandro Vissotto, com passagem de destaque pela Seleção Brasileira, como grande nome; o Copel Telecom Maringá-PR, com o levantador Ricardinho, campeão olímpico e mundial, um dos maiores de todos os tempos na posição; o Minas Tênis-MG, clube tradicional nos esportes olímpicos; o Montes Claros-MG, com Lorena, um explosivo oposto capaz de transformar jogos. JF Vôlei-MG, Lebes Gedore Canoas-RS e Bento Vôlei/Isabela-RS completam a lista de 12 participantes.

Crédito: Fábio Costa/Corinthians-Guarulhos

Todos esses times estarão no caminho do Corinthians-Guarulhos do líbero Serginho, dos centrais Sidão e Riad, do oposto Rivaldo e companheiros, do técnico Alexandre Stanzioni, que em breve começarão a luta por mais um título nacional na história do clube do Parque São Jorge. Uma coisa é certa: contra todos esses adversários, o Timão terá um aliado poderoso que ainda não foi visto na Superliga: a Fiel.