Quebrado

Por Nath

E de repente senti como se eu tivesse encontrado meu lugar.
 
 A noite estava escura e apenas algumas luzes incandescentes iluminavam alguns bancos vazios
 …E então você se despediu
 Um abraço apertado, demorado
 Do tipo de abraço que fazia tempo que eu não recebia
 
 E sempre me pegava pensando em como achava surreal o modo como costumava sentir os diferentes tipos de abraço que recebia -e interpreta-los-
 
 Mas esse, pensei, 
 Era um abraço tão sincero, tão puro, tão revigorante…
 
 -Como eram todos os seus abraços comigo-
 
 E então, foi embora andando em direção ao breu
 Enquanto eu contemplava, maravilhada,
 a noite.
 
 A solidão me atraía e me deixava num estado de êxtase…
 -Como se me possuísse-
 E com essa sensação, encontrei meu lugar -uma vez por fim-
 Em nada mais que um segundo eterno…
 
 Quebrado repentinamente por uma buzina.
 
 Percebi que me esperavam -ansiosamente-
 Mas nem se davam conta do momento
 
 Quebrado
 
 Mas ainda assim insisti em continuar
 Tentando de qualquer forma, prolongar meu conforto:
 Aquela sensação de submissão ao invisível
 -Pela qual eu era dominada-
 
 E continuei, cegamente:
 Observava o escuro, aquelas luzes artificiais 
 E pensava desesperadamente
 Em como me sentiria bem
 Se só por um instante pudesse andar
 E desaparecer
 Na solidão daquela noite
 
 Assim como você.

Like what you read? Give Crônicos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.