Da janela do meu quarto

Chega a ser deprimente a vista do meu quarto, mas confesso que isso também nunca me incomodou muito. Sempre lidei bem com o quintal da vizinha, com o cão da vizinha, as galinhas da vizinha e até mesmo a macieira da vizinha a entrar pela meu quarto a dentro. A verdade é que eu raramente paro para relaxar à janela. Vivo uma vida intensa na minha pequena aldeia e tenho pouco tempo e pouco interesse pelo quintal da minha vizinha.

Há dias decidi parar um pouco, aproveitar os últimos minutos de sol e celebrar estas temperaturas primaveris. Um pouco sol na cara, 10 minutos de descanso e um pouco de cusquice não me iriam matar.

Este foi o cenário que encontrei. Por mais incrível que pareça eu nunca tinha reparado bem no quintal da minha vizinha durante a primavera. Nem tudo é mau! Não tenho maçãs coladas ao vidro e tenho vista para a Serra da Estrela, o som das galinhas e olhar de um gato ou outro que por ali passa.

Vemos o que somos e quando não estamos disponíveis passa-nos tudo ao lado e desprezamos grandes pormenores.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Cátia’s story.