O mundo mudou. Bem na nossa vez, hein!?

Pois é, jovem. Parece que, bem na nossa vez, o jogo mudou. Não vai ter carreira meteórica ou empreendimento inovador milionário do tipo sempre pro alto e avante. Nem o combo apartamento próprio aos 30, carrão, viagens pro exterior, filhos aos 35, casa na praia aos 50 e aposentadoria pelo teto + previdência privada pra fechar com chave de ouro a jornada do guerreiro. Caramba, bem na nossa vez! E olha que a gente fez tudo certo, né!? Escolhemos uma profissão de futuro, fizemos uma faculdade boa, Inglês, pós de primeira linha com intercâmbio no exterior e tudo. Frequentamos o Endeavor, fizemos Empretec e Leader Training, vimos milhares de TEDs, enfim, seguimos o roteiro, pô! Mas nada disso garantiu o sucesso e a sonhada estabilidade financeira. E a gente tá com a cara no chão, meio sem graça, meio sem rumo. Andando de banda pela vida e se questionando: onde foi que eu errei? Aí chegamos à generosa conclusão de que fizemos, sim, tudo direito. E, impacientes, reelaboramos a pergunta: quando é que tudo vai voltar ao normal mesmo? O cenário político, a economia, o mundo? A má notícia é a boa notícia: não vai. É, rapaz, aquele esquema que a gente conheceu não existe mais. Já era. O modelão industrial não deu conta e tem uma coisa nova pipocando pelas bordas. Diz que daqui pra frente não tem mais esse negócio de centralização, hierarquia, cadeia de comando-controle, cargo padrão, processo seletivo, meritocracia, reserva, estoque, exclusão, escassez. Nem competir precisa mais, porque perceberam que tem tudo pra todo mundo: comida, teto, roupa, carro, grana. Só tá mal distribuído. Sem medo da falta e vendo o outro como colaborador, fica mais fácil se juntar pra criar e fazer as coisas realmente legais. Nessa nova lógica econômica, a posse perde lugar pro uso (tipo Uber e Airbnb). A gente só pega do sistema o que precisa, na hora que precisa. E tem ainda o tal do blockchain, a internet do dinheiro. Transação de valor sem moeda fiduciária, sem banco, sem intermediários, ponto a ponto. Sim, nem o sacro sistema financeiro se safou! Essa coisa toda tem respaldo científico, pasme! O pessoal da física explica que o padrão do universo é justamente esse: tudo ligado, interdependente, em fluxo. Modelo rede. E tudo isso agora, bem na nossa vez, hein!?