Hoje eu vivenciei um grande problema…

A falta de honestidade comigo mesma! E me deparei o quando inventamos mentiras para amenizar a nossa dor. Tomamos falsas verdades alicerçadas em nossa mente e deixamos enraizar em nosso coração. E quanto mais tempo, mas embrutecidas elas se tornam. São fortalezas “anti cura” levantadas no âmbito do nosso ser, que traz sensação de proteção…

Escolhemos enganar a nós mesmos, para não mexer em feridas que vai expor como realmente estamos. Podemos passar uma vida atrás de muros e máscaras, escondendo nossa face, nossa dor, nossas frustrações… Podemos também vestir a camisa de bem sucedidos, porque achamos que esquecer ou substituir pessoas e situações, é resolver o conflito interno. Repelindo assim, tudo o que nos traz ameaça. Estando sempre em posição de ataque e reagiando impulsivamente agressivos para nos defender…

Não se aplaca o sofrimento desviando sua face dele. Fugir da dor, só traz um ciclo vicioso de feridas ainda maiores.

É preciso desmascara-lo e enfreta-lo. Ter coragem de se olhar no espelho e mergulhar dentro dele, sem medo de se afogar.

Permita-se ser vulnerável; você não é fraco por se deixar sofrer. Abrace isso por um tempo e deixe ser tratado com o remédio necessário. Mesmo que doa, vai trazer cura.