COMO SABER SE VOCÊ ESTÁ PENSANDO ESTRATEGICAMENTE?

Quando não investimos o tempo necessário para REFLETIR sobre algo, acabamos agindo por REFLEXO. O problema do reflexo é que ele reduz tudo (inclusive o NOVO) ao que já foi visto. Logo, é impossível desvincular o pensamento estratégico do pensamento orientado a inovação.

À medida que a complexidade no ambiente de negócios aumenta, as organizações tem tomado consciência de que pensar estrategicamente tornou-se uma competência crítica para aumentar as chances de sucesso de uma iniciativa e, no fim, de sua própria competitividade. De um modo geral, pensar estrategicamente significa fazer (as melhores) escolhas considerando as implicações de cada ação. Na prática, isto implica colocar cada opção de caminho à prova de perguntas muitas vezes desconfortáveis, mas que podem revelar furos na narrativa ou pontos cegos.

Neste post, compartilho com você uma síntese do roteiro que costumo usar em meus Workshops de PENSAMENTO ESTRATÉGICO.

Esta ferramenta o ajudará a analisar se você tem em mãos as informações essenciais para desenhar uma solução para o problema ou para convencer alguém de que uma iniciativa é realmente estratégica. Aplique-a em qualquer questão que você quiser testar: um programa de capacitação, a ampliação do negócio, a criação de uma nova área na empresa, a contratação de funcionários, o lançamento de uma nova linha de produtos ou serviços etc.

A prática contínua do pensamento estratégico trará muitos benefícios para você, seu time e sua organização porque, ao final do exercício, você terá todas as informações necessárias para:
Traçar planos e tomar decisões alinhadas. com a estratégia corporativa
Traçar planos e tomar decisões alinhadas com outras áreas
Obter o comprometimento da equipe

PENSAMENTO ESTRATÉGICO EM 10 PASSOS*

Informações essenciais para o desenho da solução

  1. Liste todos os que seriam afetados pela sua decisão ou teriam interesse no resultado dela: chefe, pares, gerentes, outros funcionários, parceiros, clientes etc.
  2. Descreva o potencial impacto da sua decisão sobre as várias partes interessadas em diferentes partes de sua organização.
  3. Liste as objeções comuns que as pessoas/áreas listadas podem ter à sua decisão.
  4. Explicite o alinhamento estratégico com o negócio.
  5. Cuidado com as crenças. Identifique as crenças que você e seu grupo têm sobre a situação. Quais questões são sup osições que merecem investigação?
  6. Reduza o volume de informações. Liste as informações críticas que você precisa saber para resolver o problema.
  7. Descubra as fontes. Liste as pessoas que podem te fornecer as informações críticas para o desenho da solução.
  8. Pense grande. Quais são os impactos potenciais de suas escolhas, nos curtos e longos prazos?
  9. Pondere. Considerando todas as suas respostas anteriores — os prós e contras de cada alternativa, as consequências de suas escolhas a curto e longo prazo, os objetivos estratégicos de sua unidade e de sua empresa e os impactos transversais — qual seria a melhor decisão a tomar?
  10. Escreva a sua decisão e explique seu raciocínio.

……………………………………

* Na prática do Workshop, são usadas 59 perguntas em rodas por categorias: Foco, Visão Sistêmica, Criatividade, etc. Trata-se de um processo de SENSEMAKING.

Já vi acontecerem quatro resultados deste processo:

1. O grupo se convence de que a iniciativa inicial não é tão estratégica assim.

2. O grupo descobre que a iniciativa tem grande potencial mas carece de mais evidências e dados para convencer outros.

3. O grupo descobre que estava tratando o problema superficialmente e usa a ferramenta com o propósito de PROBLEM FRAMING.

4. O grupo DESCOBRE outras soluções para o problema inicial.


Gostou? Então indique o post clicando no coração abaixo.

Leia também 📩


DENISE ELER articula diversas competências para desenhar metodologias que trazem resultados práticos imediatos para as Organizações, seja no formato de Treinamentos ou de Workshops sob demanda.

MAIS EM

http://sensemakers.com.br e deniseeler.com (palestras)