Como ter largado meu emprego para abrir minha tão sonhada startup ferrou com a minha vida
Hilton Lima
1.99K23

Hilton sua história remeteu a do meu marido falecido que uso para que meus filhos reflitam sobre o equilíbrio da vida. Trabalhador desde os 14 anos na GM, ele teve uma carreira brilhante. Galgou cada etapa com suor, sangue e êxito! Se dedicava 24 horas, dormia com o rádio do lado da cama e não parecia nem um pouco absurda a ideia de fugir da cama de madrugada para socorrer sua fábrica querida. Tal comportamento despertou até a curiosidade do presidente da empresa na América do Sul que queria saber o que a “mulher do Demétrius falava”.

– Eu sou a amante, a GM sempre foi a primeira e única esposa. Ele também tem uma placa de patrimônio no bumbum!

Soltou uma gargalhada e a foto do relógio de ouro (que na verdade não é valioso) dos 25 anos que o funcionário dedica à fábrica foi exposta no restaurante, tamanha espontaneidade diante de tantos sorrisos congelados.

Nessa foto, ele já não conseguia mais esconder o que um câncer de estômago fazia com seu corpo. Se perdeu e, por um momento que não sei exatamente qual foi, não o achava mais em nossa relação.

No entanto, durante uma de suas internações, sua vaga tão sonhada na diretoria saiu. Era dele, mas ele não conseguia mais a agarrar.

Já estava sem forças mesmo dono de uma das mentes mais programadas que já tive contato: durante seus 27 anos de fábrica passando por várias áreas até chegar à engenharia, não teve nem sequer uma dor de cabeça! Sabia que era cercado por cobras, mas nunca esperou nada delas. Tinha a fórmula correta!

Me aconselhava sempre sobre relações no trabalho e vida pessoal: “Espere algo apenas de três pessoas em sua vida: eu, sua mãe e seu pai. De mais ninguém.”

Era uma estátua de mármore perfeita, intocável. Mas algo deu errado…

Demétrius se foi como um dos mais brilhantes funcionários da GM do Brasil em 23 de junho de 2011 aos 40 anos. Dos 36 aos 40 trabalhou com êxito mesmo sob os efeitos de uma quimioterapia ininterrupta.

Eu pergunto: para onde foi seu caminho? Onde se perdeu? Quando tinha que parar? Por quê seu cérebro o matou? Ele deixou dois filhos, um menino de 15 e uma garotinha de 8.

Quando você ouvir um grito por dentro, pare como fez e salve sua vida!

PS: hoje não tenho mais contato com nenhum amigo dele.