Lançamento do vol. 08, n. 1!

Jurisprudência, Gustav Klimt (domínio público)

A pintura Jurisprudência foi feita por Gustav Klimt entre 1899 e 1907. Junto com os painéis Medicina e Filosofia, foi encomendada pelo governo austríaco anos antes para ilustrar o teto da Universidade de Viena. Ao ficarem prontas, no entanto, as ilustrações foram consideradas excessivamente pervertidas e nunca chegaram a ser expostas no lugar para o qual foram feitas.

Diante da reação do Estado e de alguns professores, Klimt decidiu abrir mão de sua remuneração e ficar com as obras. O governo se opôs, reclamando a propriedade das criações. Foi só quando o artista ameaçou os funcionários que fariam o confisco com uma escopeta que conseguiu ter para si o seu trabalho. Mais tarde, em 1945, os quadros foram destruídos pelas tropas da SS em um incêndio ao castelo de Schloss Immendorf, onde estavam guardadas. Hoje só restam esboços e fotografias dos originais.

É com essa imagem de subversão e direito que ilustramos o primeiro número de 2017 da Revista Direito & Práxis. Desta vez, o dossiê temático “Mobilização de direitos: usos e estratégias jurídicas dos atores coletivos e movimentos sociais” é organizado pelo professor Dr. Luiz Otávio Ribas e pela nossa editora Dra. Carolina A. Vestena. A coletânea de artigos, escritos por pesquisadores nacionais e internacionais, é fruto também de uma parceria com o Instituto de Pesquisa Direitos e Movimentos Sociais (IPDMS).

A seção de artigos contém doze trabalhos inéditos com temas como judicialização da saúde, segurança pública, movimentos sociais, teoria do direito, entre outros.
 
 A seção de traduções traz dois artigos inéditos em língua portuguesa. O primeiro também compõe o dossiê e é o trabalho do professor Fernando Rojas Hurtado, “Comparações entre as tendências dos serviços legais na América do Norte, Europa e América Latina — Primeira Parte”. A segunda tradução traz uma contribuição dos professores alemães Joachim Hirsch, John Kannankulam e Jens Wissel sobre o debate da teoria materialista do estado a respeito da chamada “derivação do estado”.

Como sempre, agradecemos aos tradutores pelo trabalho de altíssima qualidade realizado.

Por fim, apresentamos duas resenhas de obras recentes, dentre elas, uma sobre o livro da pesquisadora e professora francesa Anne Clerval que retrata o processo de gentrificação da capital parisiense.

Por hoje é só. Obrigado a todos que enviaram seus trabalhos e esperamos que gostem do resultado. Te deixamos agora com esse número cheio de coisa fina.

Boa Leitura!

Equipe Direito e Práxis

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Revista Direito & Práxis’s story.