Leicester City e a ajudinha de Ricardo III

Estaria o antigo rei por trás do sucesso da equipe inglesa?

Quem gosta de futebol provavelmente está acompanhando a façanha do Leicester City, uma modesta equipe situada a cerca de 160 km de Londres e que na atual temporada do Campeonato Inglês tem feito o que parecia o impossível, que é lutar pelo título.

O simples fato dos Foxes estarem desafiando gigantes como Machester United, Arsenal, Liverpool e Chelsea já seria o suficiente para o mundo ficar perplexo, mas existe um detalhe que torna a atual campanha ainda mais impressionante: na temporada passada (2014/2015) o time lutou para não ser rebaixado, isso depois de ter passado uma década nas divisões inferiores.

Sem que muitos jogadores tivessem sido contratados de um ano para o outro e com o elenco formado basicamente por atletas desconhecidos, os analistas e amantes de futebol não conseguem explicar a súbita guinada que o time deu e é aí que entra uma das mais fantásticas histórias recentes do futebol.

Depois da batalha aparecem os valentes

Conhecido como o último rei britânico morto em combate, Ricardo III foi derrotado em 1485 na Batalha de Bosworth Field, episódio que passou a ser considerado por muitos como o fim da Idade Média na Inglaterra.

Como de costume, os vencedores ficaram encarregados de contar sua história e eles não tiveram o menor receio de passar uma imagem horrível do monarca, situação que foi agravada com a maneira como William Shakespeare o retratou na peça que levava seu nome.

Acusado de ter assassinado seus sobrinhos para assumir ao trono, só recentemente alguns historiadores derrubaram algumas mentiras contadas sobre o rei e a sua redenção só chegou em 2012, quando seus restos mortais foram encontrados.

Rei morto, rei posto

Após realizarem escavações em um parque de estacionamentos na cidade de Leicester, pesquisadores encontraram dez túmulos e após testes de carbono e de DNA, foi confirmado que um dos corpos pertencia a Ricardo III.

A partir de então os moradores decidiram arrecadar dinheiro para fazer um enterro digno para o rei, com direito a carreata pelas ruas das cidades e assim, desde o dia 26 de março ele passou a repousar na catedral local. Pois é a partir daí que a coisa começa a ficar interessante.

Um cavalo, um cavalo! O meu reino por um cavalo!

Acontece que até a data do novo sepultamento de Ricardo III, o Leicester City sempre foi uma equipe irrelevante, um clube fundado em 1884, mas cujos torcedores nunca tiveram a oportunidade de comemorar um título da liga nacional.

Além disso, cinco dias antes da cerimônia a equipe havia perdido para o Tottenham Hotspur e amargava a lanterna da competição, vendo o primeiro time fora da zona do rebaixamento estar sete pontos a sua frente.

Jogando um futebol horrível e precisando de um milagre para se salvar, parecia que os Foxes voltariam para a segunda divisão, o que só não aconteceu porque eles conseguiram sete vitórias nos últimos nove jogos e adivinhe, a reação começou justamente na partida seguinte ao enterro do tão difamado rei.

“Não sou desses que entram nessas coisas de superstições paranormais,” declarou Rory Palmer, vice-prefeito de Leicester. “Mas o ponto de virada na última temporada foi após Ricardo III ser enterrado. Desde o reenterro de Ricardo III em março [do ano] passado, o Leicester City ganhou 22 das 34 partidas.”

A reação se torna ainda mais surpreendente ao sabermos que a primeira vitória dessa série aconteceu com um gol nos últimos minutos, com o autor tendo sido o pelo galês Andy King. Uma mera coincidência?

E o que dizer do belo estádio onde o time manda suas partidas, o King Power Stadium? E eu mencionei que parte do dinheiro para a realização do novo sepultamento de Ricardo III foi doado pelos donos tailandeses do clube?

O Rei está morto. Longa vida ao Rei!

Se o espírito do rei passou a ajudar o time do Leicester como uma forma de retribuir o tratamento que seus restos mortais recebeu, nunca saberemos, mas depois de ver uma equipe com um orçamento tão pequeno conseguir liderar um dos campeonatos mais difíceis do planeta e continuar com chances reais de título, talvez a explicação mais provável esteja mesmo no sobrenatural.

Like what you read? Give Dori Prata a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.