O Dilema Claudinei Oliveira

Passei algumas horas nos últimos dias lendo opiniões da torcida do Sport e de alguns jornalistas acerca do treinador Claudinei Oliveira. E algo que notei foi uma quantidade enorme de pedidos de demissão. Tais comentários aliados às últimas atuações do Leão, me fizeram refletir: Claudinei deve ou não ser demitido? Ao fim do meu questionamento, cheguei em 4 tópicos que considero vitais para uma definição do tema. Dois favoráveis a permanência e dois favoráveis para a demissão. A seguir, eles serão destrinchados, começando com os motivos para a não demissão.

1.Mais uma demissão?

O Sport tem sido uma triturador de treinadores. Onde apenas a família tenha dado completamente certo nos últimos anos. A média é geralmente de 2–3 técnicos em um ano. O que é completamente bizarro. Simplesmente não existe continuidade na Ilha do Retiro. Normalmente os projetos tem apenas um pico alto e um baixo no Leão. Não se consegue manter uma regularidade em momento algum, no primeiro sinal de queda ocorre uma demissão.

Se fizermos um paralelo com a Era Eduardo Baptista, vamos lembrar de momentos ótimos, assim como momentos ruins. E foram justamente desses momentos ruins, em que o ex técnico foi mantido, que após a superação da crise ocorreu o alcance de uma regularidade no trabalho. Não à toa as campanhas mais tranquilas do Sport na Era dos pontos corridos, foram em 2014 e 2015. Existia uma cultura de futebol, algo já definido, todos os atletas já sabiam o que fazer, as decisões que tomariam na maioria dos momentos. Uma saída do Claudinei Oliveira, geraria a entrada de outra cultura diferente. Outra forma de jogar, de gerir atletas, de convívio. Para voltar a ter paz, o Sport precisa alcançar novamente uma ideia de jogo definida e isso pode vir com o Claudinei.

2.Capacidade já comprovada do treinador

Por mais que o tópico aparente ser mais uma “desculpa”, é mais uma forma de desabafo somada a uma crítica a forma com que se tem sido tratada a figura do técnico. Ultimamente temos visto um tratamento até covarde com relação aos comandantes. Os tratam como completos incapazes, que não conseguem sair de qualquer adversidade. Claudinei apresentou um início tão bom quanto o de Paulo Roberto Falcão e Vanderlei Luxemburgo, falando de futebol jogado, tendo um elenco bem inferior e não tem metade da confiança que os dois adquiriram naquela época.

Claro que existem problemas. Principalmente na nova ideia de jogo (mesma ideia que boa parte das pessoas ainda não entenderam o por que de ter sido adotada, mesmo havendo SIM um motivo, mas esse é assunto para outro texto), porém o treinador tem conhecimento do elenco e provavelmente dos reforços que chegarão. Na situação que o Sport se encontra, acreditar nesse potencial é algo importante e essencial.

3. Pouca utilização dos rapazes da base

Para começar os argumentos que considero importantes para uma eventual demissão, algo de suma importância para um clube que passa por grave crise financeira. Claudinei aparentemente não é dos mais entusiastas de utilização de atletas provenientes da categoria de base. Tirando Neto Moura que jogou bastante na primeira parte do campeonato, o comandante Rubro-negro praticamente não usou os jovens. Inclusive, com o adendo da não utilização de Everton Felipe.

A questão é que o Sport tem uma equipe completamente limitada tecnicamente, é difícil acreditar que Everton Felipe, Pablo Pardal, Adryelson e outros não tenham espaço nesse time. Principalmente quando mais temos visto os clubes brasileiros abrindo espaço para a base. Podendo citar inúmeros exemplos. Corinthians (esse depois de anos sem usar ninguém), Santos, Grêmio, CAP, Flamengo, Fluminense, etc. Com a atual fase financeira, nível do elenco e sem perspectivas de grandes reforços, a adequação desses rapazes na equipe principal pode marcar um ponto de mudança na equipe.

4. Problema defensivo

Aqui vai uma crítica tática. A verdade é que desde antes a chegada de Claudinei, o Sport apresenta problemas defensivos. Na primeira parte do campeonato houve uma melhora? Sim, mas não chegou a ser algo extremamente bom. Mesmo com as mudanças, o Sport continuou sofrendo uma quantidade alta de gols. E o setor tem piorado constantemente após a parada da Copa.

É um argumento que vai de contraponto ao segundo motivo positivo apresentado neste texto. Porém, existe um motivo. Não houve evolução nesse sentido, mesmo no pequeno momento de melhora, o que teve foi apenas uma fase constante, não se teve uma melhora constante. E foi justamente o bom sistema defensivo que chegou como carro-chefe de Claudinei Oliveira no Sport. Ele é com certeza capaz de estancar essa sangria. Porém demandará algum tempo. A questão é: o Sport tem esse tempo?

Ao final de todos os argumentos que considero de suma importância, manteria Claudinei Oliveira, mas sempre com o sinal de alerta ligado. Esse não é um texto que tem como finalidade fazê-los ter uma decisão igual a minha. E sim, apenas alguns argumentos que podem influenciar na análise da torcida agora. Já que essa decisão de manter ou não o treinador, guiará o clube na sua jornada nessa temporada.