Joguinho de Celular te faz um Gamer ?!?

Nibbles, Snake: The Game, Jogo da Cobrinha — Chame do que quiser, mas que tu jogou ele, tu jogou…rs

Eu acho engraçado como as coisas mudam, antigamente vídeo games eram passatempo, você jogava pra desestressar, pra se divertir com os amigos, pra curtir um momento bacana, ou simplesmente por que você gostava daquele jogo e queria saber como ele continuava. O tempo passou, a internet chegou e surgiram os “GAMERS”, um grupo que diz que joga jogos “de verdade”, tenta ditar o que é ou não um jogo, e adora apontar o dedo pra outra pessoa e dizer: “Você não é “GAMER”!”, normalmente por que essa pessoa joga, “joguinhos de criança”, “joguinhos de Facebook” ou “joguinhos de celular”. Até mesmo a Big N, a poderosa Nintendo, que basicamente fez com que a indústria dos games chegasse aonde está atualmente, hoje em dia sofre com o estigma de que não é para “GAMERS”, na época do Wii ele não era nem sequer considerado um console “de verdade”. Mas pera… Essas pessoas que estão jogando, seja lá o que e onde estão jogando, estão se divertindo? Por que se estiverem, moço, me desculpa, mas elas são sim gamers.

Meu foco aqui nesse post a apresentar um ponto interessante pra apimentar essa discussão, vou focar nos “joguinhos de celular”, esses que muitas vezes não são nem considerados jogos. Mas veja bem, quantas pessoas não acabaram por comprar um vídeo game por jogarem o jogo da cobrinha no saudoso Nokia. Ou ainda, quantas pessoas não estão hoje mesmo ganhando um graninha bacana no YouTube falando sobre jogos mobile competitivos como Clash Royale, Clash of Clans ou Summoner’s War? Some isso ao fato de que hoje em dia você tem pérolas como Final Fantasy, Phoenix Wright, Chrono Trigger, Dragon Quest, Fire Emblem e até mesmo Super Mario na palma da mão em qualquer celular um pouquinho mais parrudinho e junte tudo isso ao sucesso de Pokémon Go e ai você já vê essa desculpinha de que joguinho de celular não é “game de verdade” indo pelo ralo. Mas tem mais…

Lhe apresento Monument Valley — Suas definições de “joguinho de Celular” foram atualizadas! XP

Em maio eu estive no Japão, e enquanto enfrentava as 25 horas de voo eu já imaginava o mundo de games que eu veria por lá, sonhei com trens lotado de pessoas em seus PSPs, PSVitas e 3DSs jogando os tais “jogos de verdade” enquanto iam para seus afazeres diários, imaginei os cartazes de um zilhão desses “jogos hardcores” a cada esquina e que todo dia eu iria ver alguém com uma sacola cheia de games para PS4, Xone ou algum console clássico nesses mesmos trens. Pois isso nunca esteve mais longe da realidade. O que eu vi lá foram as mais diversas pessoas, das mais diversas idades, jogando seus “joguinhos de celular”, os cartazes em suas maioria traziam esses mesmo jogos ou um ou outro game do Mario, e as sacolas, bom, essas rolavam, mas era bem de vez em quando. E sabe a razão disso? Simples, o japonês tem uma vida um tanto quanto corrida, e gasta um bom tempo dela nos trens, e nesses eles nem sempre vão poder sentar e usar as duas mãos em um portátil, não, normalmente eles vão ficar em pé, se segurando nas alças do vagão com uma das mãos, então nada melhor do que um jogo simples que exija apenas um das mãos, que tenha partidas rápidas assim eles conseguem jogar uma inteira antes de baldear pro próximo destino. E foi ai que eu entendi o por que desses jogos não fazerem tanto sucesso aqui e é bem simples, a gente, normalmente senta pra jogar e só pra isso, ai a gente quer um jogo que nos entretenha por aquela hora ou mais, então jogar um pouquinho e ter que esperar o upgrade acabar ou ainda a “energia” recuperar para poder jogar outra fase se torna um saco, mas esses jogos não são feitos pra isso, eles são feitos para serem jogados como os japoneses jogam, na rua, no transporte publico em doses homeopáticas e se forem jogados assim eles fazem bem mais sentido.

Claro que aqui nos temos que lidar com problemas como, 3g inexistente, violência, transporte publico tão lotado que as vezes não da nem pra esticar o braço pra pegar o celular. E talvez por isso nós tenhamos essa visão de que jogos de celular não são de verdade, mas desde que eu retornei do Japão eu tenho baixado pelo menos um jogo novo por semana no meu e tenho me divertido muito com alguns deles e quando opto por desinstalar é sempre pelo mesmo motivos, falta de paciência pra esperar o tempo que o jogo pede para poder jogar de novo e foi ai que eu percebi, o jogo não é ruim, eu que jogo errado. E o mesmo serve pra todos os outros exemplos que eu citei lá em cima. Wii Sports nunca vai ter a história envolvente de um Final Fantasy, ou o gameplay refinado de um simulador do tipo PES ou NBA, mas ele não quer ter isso, ele quer ser o game que tu liga, joga e desliga a cabeça só se preocupando em se divertir. O mesmo vale para os games de Facebook, eles querem que você interaja com seus amigos, peça itens pra eles e ajude eles a conseguirem os itens, sem essa interação o jogo vai ficando ruim.

E não me entenda mal, tem muito jogo ruim por ai, mal feito, que se utiliza dessas desculpas pra ser ruim, mas não são todos os jogos novos da Nintendo, de celulares ou de Redes Sociais que são ruins, muito pelo contrário, você encontra pérolas maravilhosas ai, que vão te ajudar a passar o tempo como só aquelas revistas velhas da recepção do seu dentista conseguem! Ah! e não é só por que você está louco por Love Live! no smartphone que seu PS4 ou XONE vai querer te abandonar e nunca mais vai ligar pra você… Não! PS4, XONE, 3DS, Vita e todos seus outros “consoles de verdade” podem conviver muito bem com o Switch, joguinhos no celular e nas Redes Sociais, eles não vão brigar, pode ficar tranquilo, e de quebra você ainda vai se divertir muito mais… Vai por mim… E se eu estiver errado, eu deixo você rasgar minha carteirinha de “GAMER”

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Drugue’s story.