220 milhões de papeizinhos

Enquanto o mundo avança na era digital, o Brasil retrocede com o voto impresso.

A Câmara dos Deputados aprovou proposta que determina a impressão dos votos nas eleições. Se a medida entrar em vigor, 220 milhões de votos — considerando-se os 2 turnos e o comparecimento na eleição passada — serão impressos no próximo pleito. Para a maioria que apoiou a proposta, a urna eletrônica é vulnerável a fraudes. Ou seja, já que somos um país corrupto, é melhor imprimir o voto do que investir em segurança digital. Sintomático que o autor da proposta seja Jair Bolsonaro, mais preocupado, como declarou, em “tirar democraticamente o PT do poder em 2018”. Vem aí o festival da recontagem.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.