[1] O que eu aprendi semana passada

Ei! Essa é a segunda postagem do que eu aprendi essa semana. Aqui é um espaço pessoal e aberto para qualquer pessoa comentar, então vamos lá!

Nessa semana passada 15/02 a 22/02 eu li:

64 artigos e só. Por ter ficado sem internet durante uma semana e rolar uns imprevistos da vida, não parei para ler um livro e só li artigos no celular. Fiquei um pouco chateado mas essa semana vai ser melhor!

O que eu aprendi com os artigos:

  • Fazer flexões é bom e não é só para ter braços fortes. Um dos motivos pelos quais flexão é um dos meus exercícios preferidos é por poder ser feito em qualquer lugar, ser de graça, trabalhar todos os músculos acima da cintura, queimar gordura, faz o metabolismo trabalhar, melhora a estabilidade, ser um exercício cheio de variações mais fáceis e difíceis, aumentar o vigor e fortalece os ossos [x]
  • Eu falei na publicação passada que ler tem vários benefícios, porém não adianta ler por ler e sim refletir no que você leu. É o que o investidor Warren Buffett e seu parceiro Charlie Munger estimam praticar em 80% de todo seu dia, considerando um método para passar na frente de pessoas que são mais espertas do que eles. [x]
  • Realidade Virtual existe e veio para ficar…até você se sentir nauseado. Esse é um dos principais obstáculos do produto que veio para inovar negócios tradicionais como venda de casas muito distante dos clientes. Esse mercado imobiliário nos EUA já está começando a ter competitividade em sua oferta de serviços por meio da realidade virtual, pois o investimento e demanda é considerável. Será que isso também vai acontecer no Brasil? Quais são as outras oportunidades que a realidade virtual pode abrir além de venda de casas e o renascimento de um jornalismo mais empático? [x]
  • O que é essa técnica chamada Fasting que eu tanto estava lendo nesses questionáveis artigos de “Como ser uma pessoa melhor seguindo essas 50 dicas” (Sim, eu li um com não 10, não 20, 50 dicas)? Procurando a tradução eu descobri que se trata nada mais nada menos do que jejum, prática essa que, decidindo o período que melhor se encaixa no seu cotidiano, teria qualidades como [x][x[x]:
  • — Descanso e reparo do sistema digestivo
  • — Liberação de energia para limpeza e destoxificação do corpo, pois o corpo usa muita energia para o processamento de comida no organismo.
  • — Perda de peso e água
  • — Maior chance de não ser afetado por doenças crônicas
  • — Efeitos emocionais e boa correlação com práticas espirituais. Aumentar atenção, calma e melhor sensação corporal.
  • Se fôssemos fazer as contas, Mickey Mouse já devia ter caído no domínio Público a muito tempo, então por que isso não aconteceu? Ou melhor, o que o cidadão comum ganha com isso? Domínio Público possibilita a volta e acessibilidade de trabalhos intelectuais que não estariam disponíveis ou fossem revisitados pelo público se continuassem com direitos autorais mantidos. Trabalhos disponíveis em domínio público permitem que eles sejam reinterpretados, permitindo que sejam renovados de tempos a tempos pelas próximas gerações. A história do Mickey fica pra outro dia, mas está em inglês nesse bom artigo publicado mês passado por Zachary Crockett. [x]
  • Revisitei um artigo publicado no meio do ano passado falando sobre as três tendências da Educação Médica no futuro. Para os amantes de tecnologia, é um feliz desapontamento ler que as tendências apontam para o reparo por meio de nosso próprio corpo. As três tendências são 1) Medicina por meio da culinária (viu o que eu falei do jejum acima? Nosso corpo precisa de um cuidado bem além disso quando se fala de nutrição). 2) Medicina por meio de fitness (sem surpresa aqui, considerando que o ato de exercitar por si só resolve várias doenças como depressão por exemplo) e 3) Medicina por Empatia (tendência que chegou aqui graças psiquiatria e estava na hora de ser notado. Nosso emocional abre e fechas portas para doenças e condicionamento físico). Eu particularmente tenho muito interesse em como a Medicina por Empatia vai se desenvolver nos anos a seguir. [x]
  • Só havia publicado o artigo no facebook e irei colocar aqui de novo: O modelo de masculinidade está matando os homens por dentro, prejudicando seu emocional por completo e suas relações em geral, contribuindo em boa parte na maioria dos casos de relacionamento amoroso ou atitude profissional que vemos diariamente. Nesse artigo Frederico Mattos explica muito bem os sintomas desse homem que pensa que está melhor se fechando e sendo frio para com o mundo. Leitura recomendada. [x]
  • Já parou para pensar como o facebook prioriza as principais histórias que você vê no seu feed de notícias? Por meio de hipóteses e testes que vem desde 2006, a equipe responsável considera inúmeros indicadores para o algoritmo classificar uma postagem como relevante para um determinado usuário, procurando não fazer aparecer notícias no topo da página baseados pelo número de likes e compartilhamentos (indicadores de viralidade). Um dos primeiros indicadores criados para a empresa saber se os usuários liam encontravam postagens de qualidade no feed foi a criação do famoso Like. Atualmente com o like não sendo mais tão primordial para esse propósito, um dos exemplos de indicadores usados para considerar uma publicação relevante é o tempo que um usuário gasta na mesma publicação [x]
  • Porque o oceano é salgado? Em resumo porque abaixo do nível oceânico (na câmara magmática) são lançados micro cristais mineiras para os oceanos, ocorrendo uma troca dos químicos retidos nos rios por novos químicos como esses micro cristais a cada 6 milhões a 8 milhões de anos. Uau. [x]
  • Na última publicação eu falei que a Ciência Climática ainda não está bem definida em muitos conceitos, mas o Marcus me enviou um artigo que respondia o meu artigo anterior, onde atesta por vários estudos baseando-se no clima da Terra nos tempos Antes de Cristo (não lembro qual era o período pesquisado, coloquei os links no final)que naturalmente, como toda ciência, a ciência voltada para os estudos dos clima não tem consenso em tudo, porém está definida o suficiente para afirmar que acontecimentos como Aquecimento Global são reais e interferência da ação do homem na natureza tem impactos no Globo como um todo e não somente aos micro-climas. [x][x][x][x]

E é isso ai! Obrigado por ler e volte aqui semana que vem!