O que aprender com as Paralimpíadas?

Daniel Rodrigues comemora vitória contra o chileno Robinson Mendez, por 2 sets a 0, em 09/09/2016 na Rio 2016

É emocionante assistir aos Jogos Paralímpicos. Sorte a minha que tenho acesso à TV por assinatura, que oferece uma cobertura até que boa dos Jogos, mas nada comparado aos mais de 20 canais das Olimpíadas.

Sinto falta de assistir jogos e competições não somente com brasileiros, mais reportagens sobre os bastidores, histórias de vida e afins. Mas, abuso do conteúdo que recebo.

Minha TV, enquanto estou em casa é só Paralimpíadas, e meu celular já tem salvo uma página de notícias sobre os Jogos.


Mas o que podemos aprender com as Paralimpíadas?

Não é difícil compreender o efeito psíquico, físico e social do esporte paraolímpico para os atletas, mas esse efeito vai além. Contribui para a construção de uma sociedade realmente pluralista, que respeita e convive com as diferenças, sejam elas quais forem.

Nos mostra que as pessoas com deficiências não precisam de nossa pena, ou compaixão, mas sim de estímulo, apoio e luta conjunta pela democratização das oportunidades de acesso para além dos jogos, para que tenham uma rotina digna e feliz.


Não há motivação mais pura e sem interesses do que os Jogos Paralímpicos.

Os Jogos, ou melhor, os atletas, nos ensinam de uma vez só: Superação, Inclusão, Igualdade, Habilidade e Adaptação.

Só nos resta aprendermos a lição.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.