Durante o dia

6-ago-2016

Gosto de deitar sob o raio de sol que entra pela janela. Me estico em cima dessa cama ainda desarrumada e deixo me tocar. Me sinto queimar de um jeito quente e bom.

Se fosse mais antigo, diria que Apolo ou Hélio está me abraçando. Se fosse mais antigo ainda, que seria Rá. Não sei o que dizer agora nestes tempos, talvez Charizard?

Gosto de me enrolar. Sou meio preguiçoso sim, durante o dia principalmente, como e durmo sempre. Tenho as vezes um surto eletrizado que vem não sei de onde e faço minhas brincadeiras. Entro em caixas, pulo prateleiras. Logo passa. Nao sou dos mais sociáveis. Inclusive, sempre fico no meu canto, quando não estou pisando nos meus servos.

É isso que eles são, não? Me dão o que comer, me trazem brinquedos, limpam minha sujeira, me abrem e fecham as portas, me dão carinho. Eu os possuo pra mim. Sabem quem manda aqui. Me escolheram para reinar.

Sempre é muito parecido, mas nunca é igual. Faço minha própria rotina, sei que não passo por onde é menor que a largura de meus bigodes. Tento encontrar coisas onde ninguém vê. Talvez eu veja coisas que ninguém vê também, mas isso não vou dizer.

As vezes deixo que me afaguem, estes seres grandes e cumpridos de cabeça pequena. Sim, os servos. Pelo menos daqui de onde vejo, parece bem desproporcional. Não que liguemos muito pra forma das coisas. Ligamos mais pro movimento. Seríamos expressionistas, ou coisa assim. Vocês podem ver pelas artes que fazemos com os papéis e objetos por aí. Os papéis higiênicos, que vocês tanto reclamam. São só expressões artísticas meu bem.

Vim de família humilde, sou órfão e não vi meus irmãos desde que meus olhos mal se abriram. Mal lembro deles, me lembro vagamente de seus cheiros. Tenho um instinto em mim que diz sim, alguns estão bem. Outros… não sei.

Antigo demais ou não, sei que Bastet olha por todos nós.

Me dêem mais ração, mando. Onde está minha caixa limpa? E aquela coisa amarela com forma de o que seria, rato? Ah, escondi em baixo do sofá… os humanos são muito tontos. Encontram semanas depois só.

Sempre jogo as coisas no chão. Quero ver se a gravidade ainda funciona. Como ela funciona. Somos matemáticos, calculamos saltos. Distâncias. Precisamos estar preparados pra tudo.

Nosso coração sempre vai bater mais rápido. Nós vivemos nos minutos. Nas longas esticadas no sol. Nos sustos.

Sempre estou esperando a noite chegar, não sou desse tempo de doze em doze horas. Nosso relógio é outro. Alguns se acostumam com humanos mas nós que viemos da rua, sempre soubemos como é diferente um banho de lua.

De dia eu sou assim, sem muito pra contar. Agora com licença, que vou me banhar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.