A PALHA.

Bem lá no fundo eu sinto uma voz abafada, gritando intensamente, pedindo por socorro, mas ninguém escuta. Eu até que escuto, mas finjo que não é comigo. Por qual motivo deveria ser?

É estranho pensar que de tudo aquilo que acontece em minha vida, eu somente sou responsável por aquilo que é possível controlar. A menos que realmente eu não queira.

No entanto, o problema de se tornar apático é que eu não posso decidir em qual direção ir. Já não se trata mais do que eu quero, do que eu desejo, mas sim do que eu não pude ou não quis escolher. Só me resta agora aceitar.

Quando se é míope, dificilmente se consegue enxergar com clareza o horizonte. Talvez seja esse o meu problema. Como somente enxergo de esquina em esquina, nunca consigo traçar um caminho reto, porque sempre dobro ou à direita ou à esquerda. Às vezes até vou em frente…Mas somente às vezes!

Há um ditado chinês que li uma vez e dizia mais ou menos o seguinte: mais importante do que a velocidade com que se vai é a direção que se escolhe. Eu não duvido disso. Nem um pouco. O problema é que eu sequer sei correr, o que dirá ter noção de direção! Eu sei, é perturbador, não?

Agora digo adeus, minha carona chegou. É o vento que sopra em direção ao leste, mas não sei é para lá que eu vou.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.