Já é quase Natal… De novo?!?

Ontem vi panetone no mercado… Parece que entra no segundo semestre e logo já é Natal, como se o ano se contivesse até quebrarmos a barreira do mês 7 e aí ele entra em desespero e corre, voa e acaba.

Eu não gosto das festas de fim de ano. Acho que elas servem basicamente para as pessoas brigarem para ver onde vão passar mais tempo com aquelas pessoas que elas não viram o ano inteiro, em geral por opção. E se fosse socialmente mais aceito não veriam neste dia também.

Paradoxalmente gosto de montar a árvore, ver a cidade decorada, Papai Noel e pisca-pisca por todos os lados. Embora aproveite esta beleza, passo o mês inteiro em fase de negação (Sabe as cinco fases do luto? Pois é…).

Conforme começo a ser questionada sobre meus planos para as festas, eu chego a fase da raiva, sinto vontade de calar o individuo enfiando um gorro de Papai Noel goela abaixo, apenas para manter o espírito natalino.

Seguida, obviamente, da fase de barganha. É a mesma todos os anos, e meu círculo mais íntimo já conhece de cor e salteado, um desejo de dormir dia 23/12 e acordar dia 02/01. Seria isso possível?

Quando acordo na manhã do dia 24 e vejo que meu desejo não se realizou mais uma vez, vem a fase da depressão. Passo o dia me arrastando em atividades não importantes e adiando o momento final de…

… aceitação, quando vou tomar meu banho, fazer minha maquiagem e vestir a roupa bonita que escolhi para passar a noite na sala de alguém.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Fernanda Almeida’s story.