A Academia está sendo racista?

Desde quando foi anunciado os indicados ao Oscar de 2016, a academia está sendo acusada de racismo devido a falta de diversidade entre os atores e os filmes. Artistas como Lada Pinkett Smith, Will Smith, Spike Lee e outros já afirmaram que irão boicotar o evento, para colocar mais “lenha na fogueira” o apresentador da cerimônia deste ano é o comediante Chris Rock, do qual é negro.

É Chris, parece que todo mundo te odeia novamente (pelo menos os brancos) [piada horrível eu sei]

A princípio, esta denúncia não é recente, na edição anterior houve a mesma reclamação, inclusive houve uma hashtag no Twitter #OscarSoWhite comentando sobre estes problemas, em 2015 o filme Selma foi indicado apenas na categoria de melhor filme e melhor canção, porém muitos alegaram que é uma injustiça deixar o filme de fora na categoria de melhor direção que seria para Ava DuVernay e melhor ator David Oyelowo.

O ator Neil Patrick Harris, apresentador da edição de 2015, aproveitou a situação para poder fazer uma sátira.

Barney sendo Barney
Hoje a noite, homenagearemos os mais brancos de Hollywood…desculpe, brilhantes

O site International Business Times fez uma matéria sobre a falta de diversidade e apresentou umas estatísticas interessantes. De todos os indicados, haviam negros apenas na categoria de melhor canção original.

Lembre-se que com exceção da categoria de melhor filme (teve oito em 2015), todas as categorias tem cinco indicados.

Como se não bastasse, ainda há um gráfico mostrando todas as indicações de negros na premiação.

Em dourado estão os indicados, em preto os ganhadores e em marrom os indecisos.

E o problema não se limita a apenas negros, na edição de 2015 houve também a falta de diversidade por parte dos latinos, asiáticos e até da presença feminina.

Na imagem acima eles relatam sobre o Teste de Bechdel, esta matéria não entrará em detalhes neste assunto pois o foco está na questão dos negros, entretanto, caso queira saber um pouco mais, eis um vídeo.

Voltando para o Oscar deste ano, a presidente da Academia Cheryl Boone diz estar desapontada com as indicações pelo segundo ano consecutivo e juntamente com outros diretores, tomou a decisão de mudar algumas regras da filiação.

a principal novidade foi que o voto dos acadêmicos não será mais perpétuo. Os integrantes da Academia terão direito a votar no Oscar por dez anos desde sua filiação, prolongando este direito por nova década se permanecerem ativo. Isto é, se continuarem filmando ao longo do período. Apenas aqueles que tiverem uma carreira de mais de três décadas manterão o direito de votar permanentemente no Oscar, independente de sua aposentadoria

Com isso, vários membros atuais perderão o direito a votar no Oscar 2017, eliminando um dos maiores obstáculos para as mudanças desejadas. Ao mesmo tempo, a Academia tentará buscar maior diversidade ao convidar novos integrantes para ocupar suas vagas.

De acordo com relatos da mídia, as premiações do Oscar sempre refletiram o gosto de homens brancos idosos. Os dados são brutais: 94% dos integrantes da Academia são brancos, 77% do sexo masculino e a média de idade entre os votantes é superior a 60 anos. (trecho em itálico extraído do Pipoca Moderna).

Uma pergunta que não quer calar é a seguinte: foi realmente injusto não ter nenhum indicado negro no Oscar? Para responder isso, assista ao vídeo abaixo onde faz uma análise sobre o assunto.

Injustiça de fato com negros foram a falta de indicação do Samuel L Jackson (Os Oito Odiados)e Abraham Attah (Beasts Of No Nation). O problema real não está nos indicados do Oscar (mesmo que ao longo dos anos diversas vezes houve um tendencialismo) e sim na história do cinema em si, dos 56 blockbusters de 2015, apenas 7 tem protagonistas negros.

Isso corresponde a 12,5% dos filmes e pense novamente nos principais filmes de 2016, quantos deles tem algum negro como protagonista? Não conseguiu pensar nos números exatos? Dos 100 filmes mais aguardados deste ano, eis os que tem algum negro como protagonista (ou algo próximo).

Pantera Negra em Guerra Civil (Não é bem um protagonista mas terá algum destaque, então deixa como válido), Pistoleiro em Esquadrão Suicida (Will Smith como sempre), Caça-Fantasmas, Moana, 50 Tons de Preto, Policial em Apuros 2 e Central de Inteligência (Ambos com Kevin Hart), Independence Day e Sete Homens e Um Destino.

Isso corresponde a 9%, vale dizer que isto não é apenas um problema no cinema como também nas séries (Lembra do discuso da Viola Davis no Emmy?). Então como pode haver mais indicados negros no Oscar se faltam papeis de destaque para eles no cinema? Algum poderia responder assim:

Ah, mas estes são os filmes populares, não os filmes de arte

O problema é que também faltam papeis de destaque para este “tipo” de filme, outro fator que comprova isto é observando os papeis que os atores negros fizeram para ganhar uma estatueta de melhor ator. Dos 15, a maioria fez o papel de um escravo(a) ou uma pessoa que sofre fortemente com o racismo (Qualquer dúvida tem uma lista dos 15 vencedores AQUI).

Muitos estão pedindo, inclusive os atores que boicotarão o evento, para que Chris Rock se retire como apresentador do Oscar este ano como forma simbólica e de força a este movimento. Porém Chris Rock é um comediante e ele já relatou questões de racismo diversas vezes em seus stand-ups, sem mencionar o seriado sobre ele que é Todo Mundo Odeia o Chris.

Então ele deve de maneira alguma boicotar o evento, pois ele tem uma ótima oportunidade para poder falar sobre racismo no cinema em plena cerimônia de Oscar que será transmitida pelo mundo todo. Será um porta-voz negro em meio a uma “festa branca” e certamente o Chris Rock fará isto de forma memorável.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Fellas Blog’s story.