O que a segunda temporada de The Wire tem a dizer sobre as eleições americanas?

Nenhuma série foi tão realista e retratou mais fielmente a realidade americana do que The Wire. Quase 10 anos após seu término e o programa da HBO ainda tem a dizer, desta vez é sobre o resultado da eleição presidencial dos EUA cujo todos já sabem, o vencedor é um velho conhecido da cultura pop norte americana.

Considerada por muitos como a maior série já feita, The Wire conta a sua história na cidade de Baltimore, maior cidade do estado de Maryland. Com 5 no total, cada temporada foca em um aspecto social do município com diferentes visões do mesmo, como a do policial, do traficante, do cidadão entre outras, tornando cada temporada quase antológica apesar da continuidade da história de seus personagens.

A segunda temporada, objeto de análise deste texto, explora a decadência da classe trabalhadora norte americana em especial os estivadores que realizam o contrabando nos portos devido a poucas cargas que chegam nas docas, então como falta dinheiro para os trabalhadores e para o sindicato, eles encontraram tráfico uma maneira de sustento. Sobre essa prática a matéria ficará apenas no que foi dito anteriormente, pois como a série é policial precisa ter o elemento crime no programa. A direção é mostrar como é o eleitorado do Trump e em qual situação eles se encontram.

Para entender a “maioria silenciosa” — nome dado aos eleitores não convencionais, mas que fizeram a diferença nesta eleição — é necessário compreender um pouco do meio-oeste americano. Apelidado de Rust Belt (Cinturão da Ferrugem), esta área abrange do estado de Massachusetts a Iowa, passando pela região dos Grandes Lagos.

O segundo mapa indica o número total de empregos no setor secundário nas áreas metropolitanas. Verde: crescimento de mais de 60%; Verde claro: 7,5% de queda a 54,4% de ganho; Amarelo: 8,7–29,1% de queda; Rosa: 31–43,2% de queda; Vermelho: 43–56% de queda; Vermelho escuro: mais de 58% de queda da taxa de empregos.

Essa região era conhecida como Manufacturing Belt (Cinturão da Indústria) e caracterizada pela indústria pesada, a qual trata-se produção em larga escala de produtos brutos, vindos do aço e do ferro, excluindo produtos agrícolas. Houve um grande declínio desse tipo de indústria através do século XX por conta da automação industrial, das empresasse mudarem para outros países, das cidades direcionar sua economia no setor de serviços entre outros.

A consequência disso foi a grande queda econômica e populacional da área, o declínio do setor primário fez com que as pessoas saíssem das cidades por conta da falta de empregos, gerando assim uma decadência urbana e ganhando a alcunha de Rust Belt no início dos anos 80.

Na foto: área em volta do centro de Detroit, no fundo o famoso arranha céu sede da GM.

Os anos se passaram e a situação do meio-oeste não mudou, algumas áreas se recuperaram entretanto a maioria, especialmente o interior, ainda sofre economicamente. É um povo que vive de maneira quase autossuficiente e não acreditam no governo e por isso não votam. Então, um fenômeno aconteceu, Donald Trump, um velho conhecido do povo americano seja pela sua rede de hotéis, pelo suar participações nos programas televisivos ou pelo seu grande carisma, anuncia sua candidatura a presidência. A princípio todos riram, inclusive aqueles que seriam seus futuros eleitores, afinal Donald é este cara:

No entanto, quando Trump fez sua campanha ao invés de fazer um discurso em favor das minorias como fez Obama em 2008/2012 e a Hillary na última eleição, o magnata deu voz a maioria ignorada pelos políticos e pela mídia, tipos de pessoas vistos na segunda temporada de The Wire.

Clinton disse que traria mais infraestrutura, auxílio e intervenção estatal para esse eleitorado, o mesmo discurso de Barack, ou seja, ela não tinha praticamente plano nenhum para esse povo enquanto Trump prometeu praticamente trazer a dignidade deles de volta. Basta observar com atenção o discurso dele e não ler as manchetes dos grandes jornais, note como ele falou em trazer empresas de volta aos EUA e gerar muitos empregos, reacender o sonho americano.

Isso era exatamente o maior desejo de Frank Sobotka, durante os episódios ele fez o máximo que podia para manter os empregos dos estivadores e o sindicato ativo. Por apresentar uma linguagem de uma pessoa na quarta série, os críticos pensam que isso é uma fraqueza de Donald, muito pelo contrário, seu discurso simples e claro é facilmente compreendido pelas massas.

Junto a promessa de reviver o American Dream, Trump enfatizou o discurso politicamente incorreto, motivo pelo qual levou ele a ser arduamente atacado pela mídia e pelas celebridades alegando que o bilionário é racista, homofóbico, xenófobo, fascista e outros adjetivos sem muito fundamente. Essa maneira de falar é exatamente a forma do “americano médio” se expressa muitas vezes, na série todas as vezes que os trabalhadores estavam no bar eles estavam zombando uns dos outros e sem fazer um “policiamento de palavras” como que está acontecendo nos dias de hoje.

Uma das diversas cenas dos estivadores se descontraindo no bar. Certamente a maioria deles votariam no Trump.

Isso significa que os eleitores do republicano são intolerantes? Não, eles em sua maioria não possuem uma ideologia ou um posicionamento político, contudo viram em Trump alguém que finalmente pensa como eles e de fato pretende trazer melhorias, ainda mais pelo fato do Donald ser um outsider e não uma figura conhecida no mundo político.

Mesmo que de forma tímida, The Wire mostra a falta de perspectivas dos filhos da classe operária sobre o futuro. Eles moram com os pais e muitos deles não fazem o ensino superior devido a falta de dinheiro.

Michigan, Wisconsin e Pensilvânia, estados que deram vitória ao bilionário, eram maioria democrata desde as eleições de 1992. O slogan da campanha de Trump é o mesmo usado por Reagan em 1980, observe que em 4 palavras essa frase sintetiza tudo esse povo quer de Donald Trump.

Em sua frase mais icônica, Frank Sobotka diz:

Nós costumávamos a produzir coisas neste país, construir coisas. Agora nós apenas colocamos nossa mão no bolso do cara ao lado.

Antes mesmo de assumir, Trump e seu vice fizeram um acordo com a empresa Carrier não deixar os Estados Unidos, salvando mais de 1.000 empregos em Indiana.

É fácil e simples afirmar que a vitória do republicano foi graças ao eleitores brancos, racistas e ignorantes, como muitos veículos de mídia afirmam, entretanto houveram diversos fatores ao longo da campanha os quais merecem ser analisados cuidadosamente e de forma mais imparcial, o que foi dito nesta matéria é um dos principais fatores e como a série The Wire já informava sobre a vida dessa classe social há mais de dez anos atrás, caso você nunca assistiu esse programa televisivo, não perca tempo e veja uma das melhores coisas que a Televisão já produziu.

Like what you read? Give Fellas Blog a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.