O QUE PROCURAM OS INVESTIDORES SOCIAIS ?

by Filipe R. Portela — publicado originalmente em allianceforsocialimpactinvestment.wordpress.com

Segundo o dicionário Priberam da Língua Portuguesa:

in·ves·ti·dor — adjectivo e substantivo masculino
Que ou quem investe.
in·ves·ti·men·to — substantivo masculino
Acto ou efeito de investir.
in·ves·tir — verbo intransitivo
Atirar-se impetuosamente (contra alguém ou alguma coisa).
Dar a investidura (de alguma coisa) a.
Atacar, acometer.
Empregar (capitais)Motejar; meter à bulha.”

Uma interpretação destas definições é a de que um investidor pode ser comparado a um general no meio de uma “guerra” e, como qualquer bom general, o investidor tem preferência em arriscar as suas “tropas” em “batalhas” já ganhas (Sun-Tzu).

Ou seja, um bom investidor, de forma a conhecer e mitigar todos os possíveis riscos e fraquezas do investimento, tenta sempre conhecer todas as condições do investimento, desde os soldados (equipa); ao equipamento (tecnologia/conhecimento) usado; até à estratégia e táctica planeadas (inovação); ao campo de batalha (mercado).

Podemos então enumerar os critérios (por ordem de prioridade) que um investidor procura:

  1. Equipa: uma boa equipa até de um mau projeto obtém resultados, aprendizagem e raramente desiste; uma má equipa é a principal razão porque os projetos falham;
  2. Tecnologia: um projeto baseado numa nova tecnologia, ou num novo conhecimento, tem sempre preferência, já que pode significar uma vantagem competitiva no mercado;
  3. Inovação: mesmo que um projeto seja baseado numa tecnologia ou conhecimento já existente, pode sempre dar-lhe um novo uso, o que não deixa de ser uma inovação e tem a potencialidade de trazer vantagem competitiva;
  4. Mercado: o mercado escolhido tem sempre um papel relevante já que, em conjunção com os critérios anteriores, permite antever dificuldades. Mercados “maduros”, consolidados ou com poucas barreiras de entrada são normalmente preteríveis a novos mercados, segmentados e com barreiras à entrada de novos competidores.

Até ao momento não houve separação (propositada) entre investidor social e investidor “tradicional” porque, até esta fase, não existem diferenças. A diferença está nos resultados esperados por cada um:

  • investidor tradicional procura “aniquilar” a concorrência, criar um monopólio e maximizar o seu retorno financeiro (máx. € por cada € investido);
  • investidor social tem em conta as externalidades do seu investimento e procura acima de tudo maximizar o impacto do mesmo (máx. impacto por cada € investido).

Em suma, um investidor social procura boas equipas com bons projetos onde possa investir e alcançar os seus objetivos.

Cabe assim ao investidor perceber quais são os objetivos/resultados que procura e às equipas demonstrar a qualidade e o impacto dos seus projetos.


WHAT SOCIAL INVESTORS LOOK FOR ?

by Filipe R. Portela — originaly published in allianceforsocialimpactinvestment.wordpress.com

According to Cambridge Dictionary:

investor — noun — ɪnves.tər
the person who puts money into something in order to make a profit or get an advantage.
investment — noun — ɪnvest.mənt
the act of putting money, effort, time, etc. into something to make a profit or get an advantage, or the money, effort, time, etc.
invest — verb — ɪnvest
give the money to a bank or business, or to buy something, because you hope to make a profit
to use a lot of time, effort, or emotions because you want to succeed

One interpretation of these definitions is that an investor can be compared to a general in the middle of a “war” and, like any good general, investors prefer to risk their “troops” in “battles” already won (Sun- Tzu).

That is, a good investor, in order to mitigate all possible risks and weaknesses of the investment, tries to meet the conditions of the investment, since the soldiers (team); equipment (technology / knowledge) used; to the planned strategy and tactics (innovation); the battlefield (market).

We can then list the criteria (in order of priority) that an investor looks for:

  1. Team: a good team on a bad project gets results, learns and rarely gives up; a bad team is the main reason why projects fail;
  2. Technology: a project based on a new technology or knowledge, always takes precedence, as it can mean a competitive advantage in the marketplace;
  3. Innovation: Even if a project is based on existing technology or knowledge, you can always give it a new use, which is nevertheless an innovation and has the potential to bring competitive advantages;
  4. Market: the chosen market always has an important role since, in conjunction with the above criteria, allows to foresee difficulties. “Mature” markets, consolidated or with low barriers to entry are usually less preferable to new markets or with barriers for new competitors.

So far there was no separation between social investor and “traditional” investor just because, until this stage, there are no differences. The difference is in the results expected for each:

  • traditional investor demands to “annihilate” competition, create a monopoly and maximize their financial return (max € per € invested.);
  • social investor takes into account the externalities of their investment and seeks above all to maximize the impact of it (max. impact for every € invested).

In short, a social investor seeks good teams with good projects where it can invest and achieve his goals.

It is thus the investor´s work to understand and communicate what are the objectives/results he seeka and it´s the team´s work to demonstrate the quality and impact of their projects.