A tecnologia como ferramenta de empoderamento dos alunos

Nos últimos tempos não é difícil de perceber a presença real das tecnologias em sala de aula. Sua presença, quando bem utilizada traz benefícios tanto para professores quanto alunos em função do empoderamento de conhecimento que a mesma possibilita.

O uso de tecnologias em sala de aula dá mais poder ao professor e ao aluno. Isso acontece visto que por meio dela é possível o acesso a dados diversos bem como a resolução de atividades burocráticas mais rapidamente. Os estudantes passam a ter mais autonomia, deixando de ser receptores passivos de informações para serem protagonistas do próprio aprendizado. Isso porque a tecnologia é capaz de fazer com que o aluno conheça melhor seus pontos fortes e fracos, e tenha insumos para aprender de forma mais eficiente, onde e quando quiser.

A nona edição da Campus Party ocorrida no início de 2016 trouxe à tona discussões interessantes sobre esse cruzamento entre tecnologia e educação. A mais marcante dela foi do consultor em gestão de projetos de tecnologia, Vanderlei Martinianos, falou sobre o futuro do ensino em uma realidade imersa no mundo digital.

Formado em Engenharia das Tecnologias Educativas pela Université de Poitiers, Vanderlei hoje mora na França e é diretor na faculdade de informática École 42 discorreu sobre o fato de que é uma tendência quase irreversível que instituições de ensino utilizem cada vez mais ferramentas digitais em seus processos e tenham uma pedagogia mais livre e independente. Isso significa que a educação no futuro será baseada em um novo pressuposto, o da personalização, em que o aluno aprende aquilo que o interessa, que está conectado à sua vida e seja cada vez mais autônomo e empoderado.

Além disso, o destaque sobre essa tendência é de que percebe-se uma necessidade de converter o foco das crianças e adolescentes em algo produtivo e isso só é possível a partir da quebra dos paradigmas atuais. Felizmente, uma série de ferramentas têm surgido para facilitar essa transição e guiar os educadores neste novo universo. Neste momento, o papel dos professores passa a ser o de mediação do saber.

Essa é uma realidade que ultrapassa as barreiras da Europa chegando ao Brasil onde já se dispões de exemplos nacionais, como as escolas de medicina em que para as aulas, os alunos contam com uma série de máquinas e dispositivos que os ajudam a conhecer muito bem o corpo humano antes de precisar de fato abrir um, por exemplo.


Originally published at www.gvwise.com.br on April 13, 2016.