Reconhecer o trabalho dos professores contribui para o cenário educacional

Desta vez, a nossa Profissional Destaque é Edilane Lira. A professora é formada em Letras e Literaturas de Língua Portuguesa, especialista em Educação Cooperativa e Uso de Novas Tecnologias, pós-graduada em Docência Superior e Gestão Escolar e mestranda em Educação, tudo pela Universidade Católica de Brasília (UCB).

Com 21 anos de experiência e há um trabalhando na Rede Educacional Alub, nesta entrevista, Edilane fala sobre os desafios atuais da sua profissão e de que maneira a tecnologia, o reconhecimento e o suporte vêm para ajudar a melhorar o cenário educacional. Confira:

Você dá aula para quantas turmas? E quantos alunos, em média, tem cada uma?

Dou aula para 15 turmas com cerca de 40 alunos cada.

Você sente dificuldade em acompanhar o desempenho e o desenvolvimento dos seus alunos?

Não, pois acredito que um bom professor consegue detectar as dificuldades dos seus alunos tanto no trabalho do dia a dia como nas avaliações e nos diagnósticos que podem ser feitos durante o processo de aprendizagem. Quando se tem conhecimento sobre as diversas formas e possibilidades de avaliação, consegue-se, frequentemente, utilizar métodos que apresentam um panorama geral e individual das dificuldades dos estudantes.

Como diz uma das Diretoras Gerais da nossa instituição, Vânia Resende, “a avaliação precisa ser um instrumento contínuo, portanto, que oriente o professor no desenvolvimento do ensino, como também norteie o aluno em relação a seu comportamento e seu processo de aprendizagem. Nós, professores e escola, devemos e podemos utilizar múltiplos instrumentos na avaliação para garantir maior confiança nos resultados. Acreditamos que todos os processos de acompanhamento devem oferecer condições de avaliação que sejam diagnósticas, com visão holística do estudante, dos processos de aprendizagem que ele percorre, dos procedimentos, metodologias e estratégias apresentadas pelos professores e dos resultados que estão sendo obtidos em classe”.

Na sua visão, qual é o principal desafio do professor?

Em nossa instituição, percebemos que, hoje, o maior desafio daquele que escolhe a nobre missão de ser professor começa na sua preparação para o exercício da função. Infelizmente, temos muitas Instituições de Ensino Superior que não possuem currículos adequados, que não estão antenadas às exigências atuais do mercado de trabalho e que não preparam, portanto, os profissionais como deveriam para a arte de educar.

Outro grave problema é a visão política de não valorização financeira do professor em todo o País, principalmente no âmbito municipal e estadual. Assim, na maioria das vezes, ser professor passa a ser um “bico”. Junto a isso, a forma como a escola e a educação são vistas pela sociedade é distorcida. Hoje, espera-se que a escola faça, muitas vezes, o papel da família, sendo que muitas das responsabilidades e problemas do núcleo familiar em que o aluno está inserido são transportados para dentro da sala de aula.

A diversidade de meios que o aluno tem para obter conhecimento também surge como um desafio, já que o professor precisa, constantemente, tornar a sua aula mais interessante e envolvente. Além disso, a disciplina tem sido um dos maiores obstáculos para os profissionais da área, mas ainda acredito que este é apenas um reflexo dos outros desafios citados.

Convencer e motivar o professor de hoje a tornar-se um profissional crítico, um educador que tenha as teorias necessárias para embasar as reflexões sobre o exercício de sua profissão também surge como um problema neste contexto. A análise e a prática da reflexão estão além de uma simples competência, é uma expressão da consciência profissional do docente, que deve agir além do seu pensamento para promover transformações que permitam superar os constantes desafios.

Quais são os mecanismos de apoio disponibilizados pela escola para que você supere estes desafios?

Além de mecanismos tecnológicos, eficientes e integrados com as metodologias e os conteúdos que aplicamos, temos uma boa e continuada preparação pedagógica e um excelente trabalho em equipe, o que nos permite planejar, preparar, entender e dividir, somando experiências e possibilitando o enriquecimento das atividades em sala de aula. Temos, ainda, uma remuneração condizente, premiações — inclusive financeira — para aqueles que apresentam um bom desempenho profissional, além de apoio como o de psicólogos, que dão suporte não só aos alunos, mas às famílias e aos professores também.

Quais outros mecanismos você acha que poderiam ser disponibilizados?

Acredito sempre no trabalho com projetos. A nossa escola já conta com um bom número de projetos. No cenário atual, a contextualização promovida por projetos permite um aprendizado mais rico e eficaz para os alunos. Precisamos, cada dia mais, enriquecer e promover essa contextualização.

De uma maneira geral, o que você acha que pode contribuir para o cenário educacional?

A educação, assim como a sociedade, passa por mudanças constantes. É necessário que os profissionais de educação estejam atentos a essas mudanças e dispostos a aprender sempre. Em um universo onde a internet fornece mais informações do que um professor, cabe ao docente rever os seus métodos e perceber que, hoje, a educação está muito além dos conteúdos ministrados. O professor deve ser um mediador, um guia para que o aluno desenvolva todo o seu potencial e descubra como usar o conhecimento adquirido.


Originally published at www.gvwise.com.br on May 17, 2016.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.