EuroDraft #8 - Alpha Kaba

Já tradicional nos meus antigos meios de publicação, as análises de prospectos internacionais, principalmente europeus, vem para a nova plataforma com novo nome, para dar uma nova cara. O objetivo aqui é falar dos prospectos internacionais mais bem cotados da atual classe. Em uma sequência de atletas vindo do Mega Bemax, agora vamos para o compriiiiido e de alta força nominal Alpha Kaba.

Alpha Kaba

Idade: 21 anos

Clube: Mega Bemax

Médias na Liga Adriática 16/17: 10.8 pontos, 7.5 rebotes, 0.7 assistências, 1.5 roubadas de bola, 0.8 tocos, 2.4 desperdícios de bola, 50.7% nos arremessos de quadra, 27.3% nos arremessos de três pontos e 68.3% nos lances livres em 24.6 minutos.

Médias na Basketball Champions League 16/17: 10.7 pontos, 9.8 rebotes, 0.2 assistências, 1.6 roubadas de bola, 1.2 tocos, 2.1 desperdícios de bola, 43.8% nos arremessos de quadra, 29.2% nos arremessos de três pontos e 56.9% nos lances livres em 26.0 minutos.

Projeções de Posição:

Posição listada: Pivô

Versatilidade de posição projetada no ataque: Pivô capaz de espaçar a quadra (sérias dúvidas sobre adaptação)

Versatilidade de posição projetada na defesa: Pivô forte capaz de proteger o aro na cobertura.

Arquétipo de posição: Energy and Motor Big

Parâmetros Físicos

Altura: 2,08 m

Envergadura: 2,27 m

Contexto Profissional

Assim como Vlatko Cancar, Alpha Kaba atuou pelo Mega Bemax, clube orientado para que os jovens jogadores agenciados por Misko Raznatovic, um dos mais poderosos agentes do basquete europeu, façam números, ganhem projeção e tenham tempo de quadra. Neste esquema, Alpha Kaba foi titular e dono da posição de pivô por toda a temporada, tendo como reservas ou jogadores muito inferiores, atletas menores improvisados ou outros pivôs mais experientes. A falta de concorrentes e necessidade de aumentar seu stock fizeram com que permanecesse em quadra ainda mais tempo. Dentro da rotação da equipe, que tem responsabilidade divididas, foi o defensor de cobertura e principal protetor de aro, também indicado para pegar rebotes, espaçar a quadra em situações raras e corta-luzes, além de finalizar quando recebe na boa, não criando muito pra si mesmo de frente para a cesta ou no post up.

Atributos Físicos

Alpha Kaba possui tamanho mediano para um pivô, mas compensa isso com uma envergadura colossal, a maior diferença entre altura e envergadura do draft de 2017 após o também pivô Ike Anigbogu, que atuou por UCLA ao lado de Lonzo Ball. Em termos atléticos, é relativamente ágil e móvel e pode correr a quadra quando mais focado, mas não é alguém particularmente explosivo e que mostra habilidade de finalizar por cima do aro, nem de grande velocidade lateral para acompanhar jogadores de perímetro. Em relação aos músculos, é um trator, muito forte, corpo já moldado para encarar o basquete profissional em qualquer nível.

Polimento Defensivo

Ainda que extremamente cru e inconstante defensivamente, o francês possui potencial para ser um bom protetor de aro em virtude de sua mobilidade e envergadura, mostrado em alguns flashes. Seus longos braços permitem que recupere terreno e seja uma presença temida na cobertura quando atento às suas responsabilidades de ajuda defensiva.

Sua postura defensiva é, no mínimo, questionável na maioria das vezes. Apesar de forte, é pouco fundamentado defendendo próximo a cesta, nem sempre usa sua envergadura para contestar o arremesso e é manipulado por pivôs mais polidos no poste baixo com giros e hesitações:

Kaba tende a tentar roubos de bola quando o adversário tenta estabelecer posição próximo ao aro, com resultados mistos. As vezes exagera na tentativa de usar sua envergadura, permitindo cestas fáceis.

Na defesa de Pick and Roll, não desliza seus pés no perímetro quando precisa atuar na cobertura com constância, não dobra os joelhos e é frequentemente batido lateralmente pelo jogador menor adversário. Poderia escolher melhores ângulos, não contesta na meia distância, cede posições para o homem do corta-luz, depende muito de sua envergadura.

Para além de tocos, seu comprimento pode ser usado para alterar chutes ou roubar a bola quando bem posicionado. Seus números nas linhas de passe são animadores, excelentes para qualquer pivô numa projeção para 40 minutos (2.6).

Contudo, o pivô ainda tem um longo caminho a percorrer na defesa. Ser mais atento às ações primárias, não perder o match up se movimentando sem a bola, entender rotações, ângulos, bastante cru defensivamente ainda.

Mas ao menos em uma habilidade pode ser considerado elite, nos rebotes. Seu corpo forte e envergadura lhe dão enorme raio de ação para coletar ressaltos tanto na defesa como no ataque. Faz box out, pega a bola em posição alta, briga com rebotes contestados, move o adversário para conquistar espaço e possui bons instintos, sobretudo na tábua ofensiva (5.4 rebotes ofensivos por 40 minutos).

Polimento Ofensivo

Embora não seja um típico alvo para lobs e finalizações por cima da defesa, Kaba pode enterrar quando possui espaço para subir e finalizar:

Nas demais finalizações ao redor do aro, carece de boas mãos para receber passes por cima e explosão para enfrentar o tráfego. Não possui movimentos avançados de costas para a cesta e poderia ser mais técnico na área pintada, depende muita da força e envergadura (novamente).

Quando precisa atacar a cesta ou enfrentar tráfego na hora de finalizar, falta explosão, finaliza por baixo do aro mesmo, pouco usa a mão esquerda, leva mais tocos do que deveria.

Na tentativa de diversificar seu jogo ofensivo, Kaba vem atuando cada vez mais longe do aro, como Strecht Four/Five, o que o tornaria mais valioso, considerando sua deficiência atlética. No entanto, é um chutador bem ruim neste ponto da carreira. Sua mecânica tem muito movimento em todas as partes, os pés se separam demais, altamente robótica, lenta, baixa e armada, sem nenhum dinamismo para arremessar por entre bloqueios ou após o drible, precisa de tempo e espaço e, mesmo assim, pode ser contestado.

Atacando a cesta, não é explosivo o suficiente para ser tão útil como Face Up Big, mas possui passadas largas para chegar próximo ao aro e cavar faltas. Seria beneficiado se tivesse um arremesso mais consistente.

No Pick and Roll, por vezes até consegue finalizar mudando seu corpo no ar, mas a falta de explosão ainda é um problema, tende a sofrer mais contra defensores mais longos na NBA,

A falta de controle de bola e noção de velocidade do jogo pode fazer com que cometa erros não forçados, como andadas e faltas de ataque.

Criando para os outros, Kaba não mostrou instintos avançados como playmaker, alimentando companheiros do lado contrário ou dando passes avançados e acurados. Até que vez ou outra consegue boas oportunidades atacando a cesta e passando para chutadores, mas o péssimo índice de assistências por desperdício de bola induz que ainda longe de ser capaz de achar companheiro em um número volumoso:

Última escolha do Draft, Alpha Kaba tem semelhanças com Georginho, brasilero não-draftado. Pouco polido em relação a idade, ganhou tempo de quadra recentemente e se destaca pela envergadura. Forte e robusto, não existe muito o que avançar no corpo. Não tem muito o que evoluir no nível da Liga Adriática, resta saber se vai ficar como stash, desenvolvendo na Europa, ou se vai ficar sob os olhos no Atlanta Hawks na D-League. Os fundamentos ainda precisam crescer muito para atingir o nível da NBA.