To feliz (matei o presidente)

Atualmente eu tenho me visto bem, sabe, confiante, contente, sem problemas pairando a cabeça, disposto pra vida. E por mais que possa parecer bom, eu não sei como lidar. Tem sim o fato de que quando se é constantemente acostumado com o fracasso, a vitória é desconfortável. Mas é diferente.

Eu acho que sempre tive essa tendência a saber lidar melhor com o pior. Atualmente me vejo de certa forma ‘de bem com a vida’, e isso é aterrorizante. Não porque eu sou alguma espécie de masoquista maluco (nada contra), mas eu não sei lidar comigo feliz.

Certa vez eu vi um episódio sortido de uma série aleatória passando na HBO, e nela rolava uma espécie de treta entre um cara e uma mina (que tinham tido algo e não estavam mais juntos), e papo indo e vindo ela perguntou pra ele o que ele fez quando ela terminou com ele. Então ele respondeu “Ah, eu deixei a barba crescer, e então eu a cortei, daí eu deixei crescer novamente, e então cortei, deixei crescer, cortei, e se seguiu assim até chegar aqui”.

Eu sinceramente não sei o que esperar da vida, se eu serei “alguém” (e o que caralhos “ser alguém” deveria significar?), se eu vou ter uma profissão, se eu vou ficar rico e/ou descobrir qual é a minha, mas de certa forma eu não me pego mais pensando a respeito. E de certa forma isso não me incomoda mais.

Talvez eu me torne um grande comediante, ou um artista, talvez eu me torne uma figura pública, ou um rapper, talvez eu tenha dezenas de mulheres, talvez eu me case aos 20, talvez um dia eu me pegue lendo isso e fique feliz de ver como tudo acabou, talvez eu me pegue lendo isso e fique triste como tudo acabou. Mas esse é um problema pro Junior do futuro (desculpa, a propósito).

Eu não sei sobre o que se trata esse texto, ou o que ele deveria significar. Talvez eu só queira registrar meu momento atual de felicidade. Talvez eu só queira dizer que eu estou deixando a barba crescer.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.