Declaração de um amor platônico

você é tudo o que não sou

sem medo de ser feliz,

vive e bebe (e como bebe!) e ri

com aquele seu sorriso irônico

e desleixado, que me deixa sem graça

Você canta com sua voz linda

e maravilhosamente desafinada

e o que falar desse seu canto,

todo enfeitado e refinado

um aconchego que gosto tanto

Seu olhar parece que engana,

é um brilho, sorri por si só,

provoca um calor que inebria,

me tira da zona de conforto, me torna insana

e também me deixa triste se não vejo

por mais de uma semana

Você entrou na minha vida

peneirou sua luz em mim numa frequência tão forte

que neste pouco tempo que te conheço sinto um apreço e

ao mesmo tempo

um vazio

demasiado em minha cama

tanto que me esqueço que sempre dormi sozinha

sem uma chama.

Alguém pra eu fingir que estou dormindo

só para não desmontar o perfil por demais perfeito que é o seu,

ao descansar, seria mesmo uma atitude profana

Penso que se ficássemos juntas

seríamos mais fortes do que nunca

você é uma mulher de fato

deliro de frente e suspiro, mas não disfarço

porque é reluzente e magnífico o estar

ao seu lado

Eu peço que ao menos

de repente, em um momento, deixe eu deitar ao seu lado

sentir suas maos e dedos latentes

tentando transpassar as sete peles

para nos ossos encontrar um solo amado

Penso que se for para acontecer

nós duas ao menos uma vez

que você saiba que quero muito

ser sua e, sem perder a linha,

sem sofrimento, podemos nos fundir em uma,

quebrando as leis da física que dois corpos não ocupam o mesmo espaço

Que suas bocas traguem as minhas

sem roupa, mas sem dúvida, preenchidas

desse sentimento que,

de semente cresceu fértil,

e cultivou no meu seio essa raiz, tão rara, tão linda

que é ter você na minha vida

Like what you read? Give Giovana Ramos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.