O que a gente faz quando morre?

O que a gente faz quando morre?

Agradece?

Pede desculpas?

Chora?

Ri?

Assume a culpa?

Diz a verdade?

Conta o segredo?

Ora, se temos uma vida toda pra realizar tais atos, porque faze-los ao partir?

É preciso morrer pra ser verdadeiro? Ou pra amar e ser feliz?

É preciso chegar ao fim, pra existir?

Do que adianta se confessar estando à beira do abismo?

O que nos separa do fim é uma linha tênue, o mar é raso mas engole.

A vida é sacana, mas, mais sacana ainda é a morte, que te pega pelas costas e faz o tiro sair pela culatra.

Dura é a vida, que te faz dobrar a esquina, mas, mais dura ainda é a morte que não te deixa chegar na outra rua.

Engraçada é a vida que te dá a chance de matar, mas, mais engraçada ainda é a morte, que te faz parar de respirar.

O que a gente faz quando morre?

Abraça a morte e toma uma cerveja?

Ou chora pelo que não aconteceu?

Acusa o fim de machucar, ou a vida de proporcionar?

Agradece o universo por mais um dia, ou chora por não ter ficado em casa?

O que a gente faz quando morre? Ah, a gente deixa de respirar, mas não de existir

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.