Os Companions e suas casas em Hogwarts

Após muita pesquisa fiz uma singela lista dos companions da new-who e a suas respectivas casas juntamente com as razões.
Uma coisa que eu acho válido destacar é que todas os companions merecem estar na Grifinória pela sua bravura. Tal como os Doctors na Corvinal. Contudo, alguns companions apresentam virtudes e defeitos que se observam noutras casas.

GRIFINÓRIA

Rose Tyler — “Lobo Mau”

Corajosa, ousada e determinada. Rose Tyler possui as principais qualidades de um leão.

Após a sua perspectiva de vida emocionalmente moldada por viver com a sua mãe solteira e pelas histórias do pai que ela nunca conheceu. Sua vida deu uma volta de 180 graus após o Doctor literalmente explodir o seu emprego.
Rose saiu de casa, terminou o seu relacionamento com Mickey. O que permitiu que ela abrisse novos horizontes enquanto viajava pelo espaço-tempo com o Doctor. Rose Tyler ansiava por novas.

O que faz da Rose uma das companion leonina, é a sua paixão por defender o que ela acha ser o correto e o carinho que ela tem por um Doctor que sofre da dor da guerra. Ela prefere lutar pelo que ela acha justo, mesmo indo contra a opinião de seus amigos e de sua mãe. Rose nunca volta atrás quando decide tomar uma decisão, mesmo que isso lhe custe a própria vida.

Um dos defeitos da Rose que é comum na Grifinória, é o facto dela não medir as consequências antes de entrar em algum conflito ou ir contra as ordens do Doctor, ou seja, agir sem pensar.

Rose é mais adepta em “viver” do que “aprender” em suas viagens com o Doctor. Rose dá uso ao conhecimento em situações em que ela tem que salvar alguma coisa, aí sim ela vai em busca de algo que lhe permite ajudar os outros.

A companion é conhecida por Rose fugir de tudo que ela considera como chato e terrestre, ela prefere procurar o desconhecido ao invés de trilhar os caminhos usuais — Rose possui uma sede de aventura, aventura que se remete a “ação” . Estes são alguns traços de um leão, é essa sua vontade de explorar e defender.

Rose Tyler tem literalmente fogo nos olhos.

Donna Noble — “A mulher mais importante de toda a criação”

Tal como Rose, Donna tinha uma vida bem aborrecida com empregos temporários e vivendo com a mãe. Como resultado de seu primeiro encontro com o Doctor, os olhos de Donna foram abertos para o universo, fazendo com ela recusar-se a retornar à sua antiga vida.

Após o breve encontro com o Doctor, Donna inicia a sua própria busca por aventuras como meio de dar uma nova emoção a sua vida. Sem sucesso ela decide investigar acontecimentos inexplicáveis de modo a conseguir reencontrar o Doctor.

O temperamento da Donna é bem explosivo; as zangas dela com o Doctor são constantes mas a relação entre eles os dois é bastante dinâmica. Donna tem uma língua bem afiada e não admite que a menosprezem por ser uma mera humana diante de raças bem mais evoluídas. A companion tem uma espécie de “street wise” que adquiriu em seus empregos temporários e que utiliza para resolver enigmas que nem o próprio Doctor é capaz de resolver. A companion é persistente não desistindo de seus objetivos por mais loucos que eles possam ser.

A Donna também demonstra ter muita compaixão, sendo que em várias situações, ela foi a “humanidade” do Doctor. Era ela que dizia que o Time Lord estava indo longe demais, ou que ele poderia ser misericordioso. A Donna foi até capaz de sacrificar-se para salvar o Doctor e por consequência a sua realidade. Estes são só alguns dos muitos argumentos que existem sobre a sua compaixão que foi se expandindo ao longo das suas viagens com o Doctor.
Em geral o que relaciona Donna com a Grifinória é o facto dela ser um exemplo para todos, usando a sua voz para defender aqueles que não tem uma. Ela tende a ser uma bússola moral para o Doctor e possui uma grande coragem.

Amy Pond — “A garota que esperou”

A Amy que é apresentada na série como aventureira, sarcástica e teimosa — herança escocesa — . Tem também uma determinação inabalável, e é capaz de cuidar de si mesma quando está longe do Doctor e do Rory. É uma mãe feroz que luta com unhas e dentes para recuperar a sua filha.

Ela também deu uso da sua coragem para salvar a vida do Doctor, Rory, River. Estando disposta a permanecer nas garras dos inimigos permitindo assim que seus amigos escapassem com vida.

A companion é uma forte candidata a usar a espada da Grifinória, pois já se provou hábil no uso de espada contra piratas. Ah, e ela já lutou contra dinossauros!

CORVINAL

Martha Jones — “A mulher que andou pela Terra”

Martha foi residente em um hospital que acaba indo para a Lua e invadido por rinocerontes alienígenas. Salvou a vida do Doctor logo de cara e ele ainda com a “bad” da Rose teve de aceitar-lá como companion.

Martha, uma mulher inteligente, corajosa e de bom coração com um grande senso de humor que trabalhou no duro, que convocou JK Rowling para salvar o dia, uma mulher sem preconceitos que provou que cor de pele não define grau de inteligência.

A companion surge com soluções rápidas, práticas e sensatas que surpreendem o próprio Doctor. O seu conhecimento e lógica que lhe permitiram executar planos coordenados muito complicados baseados em muito pouca informação que o Doctor passava a ela.

Martha percebeu que não precisava do Doctor para sempre e que podia fazer o bem usando tudo o que aprendeu com ele, em suas experiências com outros alienígenas e em outras situações médicas incomuns que garantiram a ela um emprego na UNIT e um bico em Torchwood.

As águias tal como a Martha tendem a evitar o conflito, sempre que possível, buscando soluções criativas para evitar uma briga. Elas preferem confiar em seu juízo do que em suas varinhas, e ao contrário da Grifinória, são muito mais propensas a parar e avaliar a situação antes de seguir em frente. Apesar de seu trabalho na UNIT (organização militar), Martha raramente carrega uma arma e utiliza a filosofia mais pacifista do Doctor para mudar a organização para melhor.

LUFA-LUFA

Rory Williams — “O último centurião e o cara que esperou muito mais que a mulher”

Rory tem todas as qualidades da Lufa-Lufa, tais como: ser humilde, leal e protetor. Ele esforça-se arduamente para cuidar de seus pacientes, tem grande empatia e compaixão pelas pessoas mesmo sabendo que isso o levará à grandes perigos.

Também podemos encontrá-lo ajudando os novos passageiros da TARDIS a se aclimatarem com o “maior por dentro”. O companion é um marido dedicado que dá até a sua vida (e paciência) para salvar a esposa. Talvez a maior prova disso foi a sua disposição para proteger Amy na Pandorica por quase dois mil anos.

Rory é extremamente leal ao Doctor confiando até a sua vida nele.
Meio pateta, Rory é a pessoa ideal para se ter como grande amigo se você valoriza a sua lealdade e o facto dele sempre pensar primeiro nos outros.

SONSERINA

Clara Oswald — “A garota impossível”

Quem não a conhece olha para ela como uma mulher comum de Londres contemporânea, uma mera professora, mas que na verdade é um paradoxo ambulante.

Astuta, ambiciosa, determinada em usar todos os meios para atingir seus objetivos, engenhosa e perspicaz. Clara possui todas as qualidade que fazem dela uma integrante da Sonserina.

Poderosa e orgulhosa ela é capaz de alcançar os seus objetivos utilizando os mais variados meios, nomeadamente, a persuasão. Como quando ela fez com que Skaldak poupasse a vida de Grisenko e quando ela convenceu o(s) Doctor(s) a não cometerem um genocídio planetário.

Clara provou ser uma líder natural e uma estrategista capaz de se adaptar a qualquer situação, quando utilizou a energia dos monstros em transformar objetos em 2D para 3D para alimentar a TARDIS que se via reduzida a um mero cubo.

Clara tem uma personalidade bastante controladora, aliás, ela já admitiu ser uma “control freak”.

A lealdade da companion já foi posta em causa quando a dor pela morte de Danny fez com que ela chantageasse o Doctor a recuperar o namorado dos mortos. — Atirar todas aquelas chaves para a lava era como se lhe arrancassem uma parte do Doctor. Tenham consciência disso antes de terem a Clara como inimiga.

A companion é exímia na arte de mentir — aprendeu com o melhor — , até teve a proeza de poupar a própria vida fazendo com que os Cybermans acreditassem que a Clara era o Doctor por breves momentos recitando fatos da vida do próprio.

Clara desenvolveu um desejo voraz por aventuras mais arriscadas, ela meio que criou uma adição pelo perigo, algo que nem a própria morte conseguiu tirar dela.

Uma curiosidade sobre a Clara ser da Sonserina é o facto do próprio Doctor já ter admitido isso na HQ “The Four Doctors”.

THE FOUR DOCTORS

O que acharam da lista? Discordam de alguma coisa? Alguma sugestão?

Proclame ❤ ao mundo.
Obrigada pela leitura.