Os Doctors e suas casas em Hogwarts

Se você ainda não leu ‘Os Companions e suas casas em Hogwarts’ entenda que esse artigo une o whoniverso com o mundo de Harry Potter ao falar dos Doctors nas suas respectivas casas de Hogwarts.
A descrição dos Doctors foi muito mais longa em relação a dos companions pois decidi acrescentar detalhes que não estão relacionadas somente às suas respectivas casas. Achei enriquecedor adicionar detalhes que costumamos não reparar à primeira vista. Nomeadamente a personalidade complexa do War Doctor que é desconhecida para quem não o acompanhou além de “The Day of The Doctor”.
Boa leitura!

GRIFINÓRIA

War — “Basta!”

Nosso guerreiro que passou toda a sua encarnação lutando na Guerra do Tempo para proteger o seu povo e toda a realidade. Foi reconhecido como um grande herói em Gallifrey — regenere de inveja, Rassilon! — . Mesmo com toda essa glória, o War tinha aversão de si mesmo recusando a se auto-denominar como “doutor” e sim como “guerreiro”.

O War foi, até agora, o único dos Doctors a querer optar pelo uso de armas, permitindo até que uma de suas companions trouxesse uma arma para o interior da TARDIS.

Mesmo com uma aparência mais envelhecida, ele foi um exímio atirador e piloto, ágil a desviar de tiros de Daleks a curto alcance. Demonstrou ter bastante força, resistência e velocidade. É Rápido a tomar decisões em momentos críticos mas não em planos a longo prazo.

O War testemunhou a queda de Arcadia. Lá usou a sua presença para atrair vários Daleks tirando a sua atenção dos refugiados Gallifreyanos que tiveram tempo para fugir da cidade devastada. Em Arcadia o nosso guerreiro usou a arma de um dos soldados de Gallifrey para escrever “BASTA!” (NO MORE!) mostrando aos Daleks e aos Senhores do Tempo de que ele iria definitivamente acabar com a guerra para salvar a realidade do caos. Decisão essa que levou muito tempo para ser tomada já que salvar o universo, seria preciso sacrificar todo o seu povo.

O que é de notar no War é o facto dele ter o cuidado de ativar o “Momento” longe de sua TARDIS para que ela não testemunhasse o ato terrível que ele estava prestes a cometer. Mesmo ele tendo consciência de que não tinha outra escolha e fazendo aquilo em nome da paz e da sanidade.

Ele também demonstra uma antipatia especial para qualquer um queira justificar suas ações dizendo “estou apenas cumprindo ordens”

Após conhecer seus sucessores ele refletiu sobre com ele era inferior a eles e o quão notáveis eles eram por se arrependerem de suas ações. Apesar da Guerra do Tempo ter causado arrependimento, tristeza e culpa no Doctor, ele tentou lidar com esses sentimentos ao ser otimista, compassivo e irónico.

Mas ele não é só austero e triste. O Doctor também exibe uma confiança um pouco excessiva enquanto considerava pedir, educadamente, a um Dalek para levar ele e sua companion como prisioneiros para se infiltrarem dentro de sua nave. E, em vez se esconderem de seguida, ele decidiu pedir diretamente aos Daleks para o levar até o seu líder.

Outro detalhe sobre o War, é a frieza que ele teve quando quis abandonar nas mãos de Daleks quem não oferecesse a ele vantagem tática. Isso só não aconteceu, porque a sua companion, Cinder,convenceu-o a fazer o contrário. Ele também já demonstrou alguma satisfação em ver Daleks sendo mortos. Creio que isso sejam os danos que a guerra causou na sua personalidade e não a sua própria natureza. No entanto, mesmo com uma personalidade deturpada pela guerra, este notável guerreiro lutou por manter a bondade ainda dentro de si. Tendo que tomar duras decisões e tentando sempre manter o entendimento.

Contudo, mesmo preocupado em acabar com a Guerra do Tempo, o War Doctor esteve disposto a proteger outros mundos, que nada têm a ver com o seu, e a ajudar as suas encarnações futuras com o conflito contra os Zygons. Ele também mostrou-se satisfeito pelo desfecho desta última situação através da diplomacia ao invés de destruição.

O War Doctor é um humilde leão determinado a ir contra a ideologia pacifista de suas outras encarnações quando se vê sem alternativas a não ser lutar na guerra.

Com iniciativa, ousadia e coragem ele ganhou o respeito de seus aliados e foi temido por hordas inteiras de Daleks. Considerando que isso nunca foi o seu objetivo.

Em geral, ele ainda se preocupa com quem o acompanha, selecionando aqueles que ele realmente acredita serem capazes de lutar, afinal, cada vida perdida seria mais um peso na sua consciência

O War Doctor foi mais longe do que qualquer outro Doctor para proteger toda a realidade. Foi aquele que teve de tomar a decisão mais difícil e que mesmo assim não se viu como um ser superior por ter tanto poder em suas mãos, pelo contrário, ele temia o sofrimento que todo aquele poder iria causar, por isso, tinha vergonha de ser o seu portador.

Ele foi o bravo guerreiro cujo objetivo era proteger toda a realidade.

9º — “ É fantástico!”

Emergido da Guerra do Tempo como o único sobrevivente e último Senhor do Tempo, o Nono Doctor, emocionalmente assombrado pelas lembranças macabras da guerra em que ele havia participado, entrou em um período de muitos arrependimentos, tristeza e raiva. Ele usava o seu entusiasmo, o seu humor mordaz e sagacidade para mascarar o seu sofrimento. No começo, ele somente presenciava os acontecimentos na Terra como um lobo solitário.

Apesar disso, ele era jovial e amigável para aqueles a quem ele confiava e tinha um grande carinho. Lentamente, com ajuda dos seus companheiros ele foi deixando de lado a faceta assombrada pela guerra e abraçou o Doctor que ele sempre fora. Mantendo assim a atitude altruísta e o carinho que ele carrega ao longo de suas encarnações, nunca hesitando uma única ver em colocar-se em perigo para salvar aqueles em torno dele.

Ele foi uma figura dominante na hora de assumir o comando de um grupo de soldados em questão de segundos. O Doctor procurava, sempre que possível, usar a diplomacia para resolver conflitos. Ele também demonstra mesma antipatia especial do War Doctor. O nono é de certeza uma das encarnações mais nobres. Nobreza essa que é uma das virtudes mais valorizadas na Grifinória.

Rose Tyler era a sua companion oficial embora houvesse alturas em que ele viajava em grupo, contando que esse grupo fosse de sua total confiança. Já aconteceu do Doctor já ter posto o pé na bunda em um coleguinha da Rose quando este quis alterar o curso da História humana para seu próprio proveito.

O Nono Doctor também exibe um lado divertido de vez em quando, curtindo uma balada tradicional de Britney Spears, desfrutando uma refeição com Nancy e seus amigos, dançando com a Rose e retribuindo de volta os flertes do Jack.

Provou ser hábil no combate físico, sendo também capaz de desacelerar a sua percepção temporal para passar por uma lâmina giratória. Demonstrou ser capaz sugar o poder do vortex temporal com um único beijo. É um carteirista de primeira, conseguindo a proeza trocar a arma de Jack por uma banana. E seus reflexos são tão aguçados a ponto de capturar um dardo envenenado no ar com os dedos, sem sequer olhar para ele.

Como todo leão, o Doctor encorajava as pessoas ao seu redor a serem os heróis do dia. Mostrou não temer a sua morte, sua única reação era de apenas fechar os olhos e esperar pelo fim. E como ele se importava tanto com a vida de Rose, chegou a sacrificar a sua encarnação para salvar a sua vida.

SONSERINA

10º — “Allons-y!”

Extrovertido, alegre, hiperativo, genial, tagarela, faz piada com qualquer coisa mas também consegue ser sério em momentos críticos. Ele protege ferozmente tudo aquilo que ele mais ama no universo. É muito vaidoso, tento até uma “mãozinha” para projetar a energia regenerativa para preservar esse lindo rosto.

O seu maior defeito é o seu ego. O décimo regularmente utiliza o seu nome como um título honorífico e como uma ameaça. O problema é que essa tática raramente funciona apesar das suas grandes expectativas.
 — I’m the Doctor. I’m a Time Lord. I’m from the planet Gallifrey in the Constellation of Kasterborous. I’m 903 years old ….
- Zzzzzzzzzz…

Ele sempre tentava assumir o controle de situações em que se encontrava, e acreditava ter a autoridade e o dever de punir aqueles que cometeram atos terríveis.

Nos momentos em que ele é impulsionado pela raiva ou a justiça, ele age sem hesitação para derrubar aqueles que se opõe a ele e aos seus companheiros. Mesmo tendo uma natureza misericordiosa e compassiva perante os seus inimigos, ele já concebeu castigos extremamente dolorosos e ininterruptos àqueles que não voltaram atrás com as suas ações. Quando o Doctor perde a sua paciência, não existem mais segundas chances ou piedade.

Em momentos de absoluto desespero, ele tende a explodir em fúria, e por algum tempo, à loucura pelo seu poder como “ O Último dos Senhores do Tempo” para mudar todo o curso da humanidade na História para salvar alguns astronautas presos em Marte. Confiante de que as leis do tempo eram suas por direito, seu erro fora tão grande e terrível que um dos astronautas recorreu ao suicídio para preservar o futuro de gerações seguintes. Atormentado com os resultados de suas ações, ele refletiu que não poderia alterar a História e acreditando que seu fim estava por chegar após negar isso por tanto tempo.

Sua dificuldade em aceitar perdas fez com que ele rejeitasse os seus próprios fracassos. Razão pelo qual a Donna se tornou tão importante para que ele não sucumbisse ao seu lado mais sombrio.

Na HQ “Four Doctors”, em uma linha de tempo alternativa, em vez de se sacrificar, o Doctor deixou Wilfred morrer na câmara de radiação, vendo-se ser “mais valioso para o universo”. Após isso, o Doctor adotou o título de “Senhor do Tempo Vitorioso” e tornou-se um ditador em todo o cosmos.
Lembrando que na série televisiva o Doctor esteve muito perto de deixar o Wilfred morrer.

Sob o seu exterior jovial, ele era um velho que tinha visto acontecimentos terríveis, sentindo assim uma profunda solidão no fim de sua encarnação.

Em geral, o décimo Doctor tem as principais características de um Sonserino. Ele joga para ganhar, é perfeccionista sempre brigando para que tudo fique da usa maneira, é esperto fazendo de tudo para se dar bem, é frio quando castiga os seus inimigos e calculista conseguindo que algo ou alguém saia de seu caminho.

LUFA-LUFA

11º — “Geronimo!”

Desastrado, engraçaralho, reservado e aventureiro. É o mais infantil, o mais animado e o mais excêntrico entre os Doctors. É também muito engenhoso e extremamente otimista, sendo capaz encontrar perspectivas positivas em situações negativas. É um sucesso com as crianças, demonstrando ter muita compaixão por elas e sendo incapaz de não a ajudá-las. Durante seu tempo em Trenzalore — melhor blog — , o Doctor passou a dedicar parte de seu tempo na reparação e construção de brinquedo brinquedos para as crianças de lá.

Um discurso dele sobre o 7x1 faria com que os brasileiros aceitassem melhor a derrota contra a Alemanha na copa. Ele sabe dá os melhores discursos motivacionais.

Ele tem um forte senso de responsabilidade quando o assunto é proteger quem lhe é mais próximo, principalmente de problemas que estão diretamente relacionados a sua pessoa. Quando temia pela vida de seus companheiros, ele exigia que eles voltassem para a TARDIS ou deixava-os em algum lugar seguro. Quando algum deles fosse raptado, ele era capaz de ir até o fim do universo e derrotar hordas inteiras de inimigos só para encontrá-lo.

O décimo primeiro é extremamente impaciente, atributo que contradiz com a casa, precisando manter-se entretido para não morrer de tédio. No entanto, provou conseguir lutar arduamente por uma eternidade em Trenzalore até ficar velho e cansado.

Nesses momentos ele preferia gastar o tempo com atividades lúdicas como o tricô, jogar futebol, dançar, desenhar, pintar. Tal como os integrantes da Lufa-Lufa ele sempre preferiu aprender habilidades práticas mas legais, nada de muito extraordinário, diferente de suas aventuras.

É fascinado com mistérios, motivo pelo qual ele escolheu a Amy — o Rory veio no pacote — e a Clara como suas companions para descobrir a razão que fazia elas serem tão especiais.

O Doctor sempre esteve disposto a sacrificar-se para um bem maior, contudo, mesmo com esse seu sacrifício e o facto de que ele se importava profundamente com seus companheiros. O Doctor admitiu que ele era egoísta as vezes, dizendo a Amy que a tinha levado com ele porque ele era vaidoso e queria ser adorado. Porém essa vaidade era a sua fachada para esconder as suas inseguranças e a culpa de arruinar a vida dos seus antigos companions. As suas brincadeiras, piadas idiotas e a dança da girafa também eram a sua forma de se abstrair da tristeza e do arrependimento que o perseguem durante tantos anos.

Sua natureza excessivamente protetora de texugo com os seu amigos já o levou ao extremo, tornando-o cruel e implacável, perdendo até a sua aversão à armas mas sempre utilizando-as ou para ameaçar ou para atirar noutros objetos. Era preciso que ele estivesse próximo de seus companions para que seu emocional voltasse ao normal. A solidão afeta-o mais que com os outros Doctor, essa é outra característica da Lufa-Lufa.

Outro atributo é a desconfiança que ele tem quando se questiona constantemente sobre o crime da River e como a Clara pode ser a “garota impossível”, contudo, quando elas ganham a sua lealdade nunca mais a perdem.

Ser otimista, carinhoso, leal, protetor, trabalhador e pateta são os atributos que fazem o onze ser um Lufano.

CORVINAL

12º — “Clara!”

Livre da culpa de ter destruído o seu povo, o décimo segundo é o mais “amargo” entre os outros Doctors. Ele é homem cínico, sagaz e extremamente sincero e raivoso. Apesar disso, ele ainda conseguia ser bondoso e bem-humorado, só que ao contrário dos outros, ele dispensa a delicadeza em situações de grande tensão. Nessas horas, ele torna-se frio e analítico. Seu discernimento e conhecimento prático destacam-se nesse seu tom mais agressivo embora o Doctor preferisse dar sempre o benefício da dúvida aos seus inimigos.

Ávido a procura de conhecimento, o décimo segundo estava disposto a colocar os seus companheiros em perigo se isso significasse apaziguar a sua curiosidade, muitas vezes deixando-os fora dos detalhes de seus planos, ou simplesmente usando-os para desviar a atenção de si mesmo.

Ele também ficou animado por poder conhecer, pessoalmente, o interior de um Dalek, ficou espantado por descobrir a, possível, existência de fantasmas e com entusiasmo tentou descobrir a causa dos pesadelos de sua infância. Ele é conhecido por admirar o inexplicável.

O décimo segundo é extremamente auto-reflexivo, chegando ao ponto de se questionar se ele era um homem bom. Eventualmente, ele chegou à conclusão de que ele não era um homem bom nem mau, mas sim apenas “um idiota, com uma caixa e uma chave de fenda. Apenas de passagem, ajudando e aprendendo.”, e mais tarde acrescentou que era “apenas um cara em uma caixa, contando histórias.”

O Doctor insulta frequentemente os humanos chamando-os de “cérebro de pudim”, contudo, ele aceita a companhia daqueles que podem ajudá-lo intelectualmente.

A sua TARDIS inclui inúmeras prateleiras cheias de uma enorme variedade de livros, e uma poltrona para desfrutar enquanto os lê.

Reconhecendo ser um mentiroso, o seu distanciamento com as pessoas, a sua insensibilidade e o desrespeito pelas convenções sociais. O Doctor foi levado à uma crise de moralidade e com a ajuda da Clara, ele começou a mostrar o seu lado mais acolhedor e outras características mais positivas de sua pessoa.

O Doctor é adepto do “carpe diem” (aproveite o dia).
 — Tudo é grande, tudo é tão importante, cada detalhe, cada momento, cada vida que agarra-se ao momento.

Ele também possui uma grande compaixão ao perdoar a Clara por chantagea-lo, quando deu a Davros um pouco de sua energia regenerativa para permitir que ele visse o amanhecer antes que Davros morresse — só que não. O Doctor também deixou de insultar o Danny Pink após saber da sua morte, e ficou indignado com Fisher King quando soube que este usava as almas dos mortos como transmissores para o seu exército.

O Doctor revelou a sua aversão pela guerra quando soube que tudo que a Bonnie realmente queria era forçar uma guerra entre os humanos e os Zygons. O Senhor do Tempo entrou em um discurso inflamado em fúria e pesar, dizendo-lhe que ele sabia o que era uma verdadeira guerra e que ele não iria permitir que ela levasse outros para a morte.
 — Quando você dá o primeiro tiro, não importa quão bem você se sente, você não tem ideia de quem vai morrer! Você não sabe cujos filhos irão gritar e queimar! Quantos corações serão quebrados! Quantas vidas serão destruídas! Quanto sangue irá ser derramado até que todo mundo faça o que deveria ter sido feito no começo. Sentem-se e conversem!

Os integrantes da Corvinal são perspicazes, sábios e buscam sempre o conhecimento. Têm um enorme gosto em aprender quer seja através de um livro, ou direto ou através da experimentação sendo muito competitivos. Eles têm anseio em obter mais informações para afiar as suas mentes. Orgulham-se de ver o mundo de forma diferente do que aqueles que os rodeiam.

Acho que não é preciso dizer que o décimo segundo encaixa-se perfeitamente nesta casa.

O que acharam da lista? Discordam de alguma coisa? Alguma sugestão?

Companions e suas casas em Hogwarts

Proclame ❤ ao mundo.
Obrigada pela leitura.