A antiga secção”NÓS E O TEMER”, que no decorrer do tempo foi transformada em “TEMER E O MURO”, pelas vacilantes atitudes do Presidente. Entre o discurso de posse e o andamento atual do governo as coisas não andam. O discurso foi de estadista, a ação foi modesta. Ocorre que precisamos reconhecer que pela via democrática, o congresso não ajuda. É ruim, ainda trabalha na máxima que “é dando que se recebe”, mais da metade dos congressistas sob investigação, enfim um horror. Como implantar as reformas prometidas no discurso de posse, com esse congresso que segundo o Lula, é “composto por 300 picaretas”? Com trabalho, entrando no jogo do parlamento e fazendo as coisas andarem dentro dos padrões brasileiro de se fazer politica. Desejo ardentemente que ele consiga. Na minha opinião ele começa a descer do muro.

Dentro do jogo parlamentar brasileiro, o Presidente esta atuando com grande sabedoria, usando a sua experiencia parlamentar. Se é assim, que seja. Mas que ande!! Enquanto população, vamos engolir mais alguns sapos, mas talvez deixemos de ser o país do futuro, para pelo menos, sermos o país do presente.

O deputado londrinense Luis Carlos Hauly, tem conhecimento, competência e disposição para levar a tão sonhada reforma tributária em frente. A proposta é arrojada. Mas como já estamos vendo, os cargos disponíveis das estatais brasileiras devera assegurar ao Presidente os votos necessários para aprovação das medidas. Troca de cargo por voto para aprovação das reformas, eu aceito. Afinal 13 anos de PT, ainda poderão ser consertados de 2018 em diante.

Com as propostas de reforma em andamento, pode ser que a legislação trabalhista brasileira, datada de 1943, e inspirada na “legge del lavoro” do ditador fascista Benito Mussolini, ajude a melhorar o panorama de empregos. Se implantada, deverá mudar à forma de contratação de mão de obra. Além da mudança na lei, teremos que ter o “enquadramento!” da Justiça do Trabalho. Aliás país que tem muita justiça, não tem justiça nenhuma. O atual sistema da justiçado trabalho no Brasil tira mais empregos que a atual crise. Se flexibilizarem as leis, talvez seja possível que muita gente boa e experiente possa volar ao mercado de trabalho, com custos menores para as empresas. Sem empresas, não tem emprego, não tem salario não tem renda. Deu para entender? Ou vamos virar todos funcionários públicos?

O Deputado Arthur Maia, devera ser o relator da reforma da previdência. Tomara que seja! Ele tem opiniões muito salutares para o nosso futuro. Por favor justifiquem os interessados, porque igrejas, universidades, times de futebol emissoras de tv, rádios, jornais e outras entidades, tem isenção de impostos? Para cada isenção, alguém vai pagar. E esse ”alguém” somos nós. Ou seja a velha cortesia com chapéu alheiro. O deputado dá a isenção e você paga. Bonito hein?

Na semana passada, postei uma matéria sobre lucros dos bancos no Brasil, e o reduzido numero deles por estas bandas. Se vocês lembram, temos no Brasil apenas 5 bancos operando no varejo. Banco do Brasil, Caixa Econômica, oficiais, Bradesco, Itau e Santander privados. Vamos combinar que é pouco banco para o tamanho da economia brasileira. O Santander foi o ultimo a chegar e olhem só aí ao lado, a importância da economia brasileira, em recessão, para o resultado do banco espanhol. O lucro do Santander no Brasil foi maior que o lucro do mesmo banco na Inglaterra.

SEGUNDO O MINISTRO MEIRELES, QUE COSTUMA DIZER, “DEVAGAR QUE ESTOU COM PRESSA”, VAMOS INDO.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.