A semana foi prodiga em movimentação politica e com as delações aumentando. Sim aumentando, após o Palocci trocar de advogado, que por sinal era o mesmo do Pinóquio da Silva, e desistir do silencio. Temos o Renato Duque, sem trocadilho na mesma linha, do Palocci, e diz que quer contar mais??? A continuar nessa batida, em breve o Janot, vai ter que devolver dinheiro pra ele. Mas as coisas estão andando.

Estão andando até fora do cemitério, porque lá dentro tem nego recebendo BPC, e eu pensando que era Bom Pra Caracas!! Mas não é, BCP quer dizer Beneficio de Prestação Continuada. Que, segundo a legislação é devida à pessoas com 65 anos ou mais com deficiência, física, mental, intelectual ou sensorial que o impossibilite de participar de forma plena da sociedade. Ou seja, descobrimos que temos 1.194 mortos participando ativamente da sociedade. Mas se na Câmara SÓ tem 513 deputados, Tá faltando morto no Congresso?

Não acredito que com 14 milhões de desempregados, alguém vá para a rua reclamar da atual Lei Trabalhista. Ora, essa legislação esta em vigor desde os anos 40, se não resolveu não vai ser com a greve que vai resolver. Desculpem a visão simplista. Porque na realidade a reclamação vem dos Sindicatos e seus pelegos que estão prestes a perder as suas mamatas sindicais.

E o professor Seligman é burro? Não, esta só tentando a velha cantilena esquerdista de defender uma posição sem esclarecer todos os fatos. A declaração dele ai ao lado, desmerece sua inteligência. Quem elegeu o Trump foi o sistema eleitoral americano que embora ruim, é melhor que o nosso. No chamado voto popular, Hillary Clinton teve 500 mil votos a mais que o Trump, perdeu no colégio eleitoral por apenas 20 votos. O professor Milton Seligman, deixa de lado a real informação, que quem elegeu Donald Trump foram 290 delegados do colégio eleitoral. Professor, menos por favor, caso contrario vamos pensar que o senhor ficou burro.

Se tem uma coisa que me incomoda, é ver o Governo tentar convencer o povo da necessidade de aumento de impostos, sem ter esgotado as chances de receber as dividas que lhe são devidas. Afinal só porque o povo não tem que os represente, não é justo proteger apenas os que tem padrinho e lobista forte.

E falando em eleições e novas regras eleitorais. Aliás, o que me dá muito medo, porque alterações nas regras eleitorais em ano que antecede às próprias, cheira a acerto espúrio. Vejam quanto custa para o contribuinte, que deveria ser chamado de “contriburrinte” a tal propaganda GRATUITA, no radio e tv. Ultimamente a imprensa e analistas tem perguntado por que as eleições no Brasil custam tão caro?

Considerando que o grande custo em outros Países é exatamente com comunicação, e aqui ela é gratuita, para os politico e seus partidos. A explicação é bem simples. CORRUPÇÃO.

O marqueteiro cobra muito porque tem que distribuir propina para os integrantes VOLUNTÁRIOS das campanha, ou seja, os “entorno”, aqueles que votam porque acreditam no candidato. Ou acabamos com a corrupção, ou ela acaba com o Brasil.

Que proteção é essa? Se a Volks pagou multa de 2.8 bilhões nos USA, por falsear dados sobre o escapamento de seus carros estarem poluindo além da conta ajustada? Por que eles não são multados no Brasil? Nossas leis são mais lenientes? Ou os brasileiros podem ser entoxicados? Em ultima analise, uma multinha dessas, poderia ser vista como alternativa de ajustar o caixa.

Os prefeitos e vereadores que estão preocupados com os efeitos do Uber sobre os seus eleitores, os taxistas e seus sindicatos, deveriam olhar com mais atenção para os números de eleitores em jogo. No Brasil deve ter no máximo, 200 mil taxistas. Os usuários do Uber somam 1 milhão de clientes. É só fazer as contas e ver quem deve ser agradado.

E as reformas vão andando e sendo aprovadas aos pedaços. Mas ainda assim são reformas importantes. Creio que estão se abrindo portas para ajustes futuros. E também para o melhor entendimento da população. Aliás, sem nem os deputados “tem tempo” para ler as propostas de reforma? Porque o povo deveria compreender?

O entendimento da população é feito via noticiário, com tempo curtíssimo para os esclarecimentos. Os nossos representantes no Congresso, estão muito mais preocupados em se reeleger, do que ler e votar as matérias de interesse do Brasil. Lembrem, eles só estão lá para isso. Assim, é natural que as reformas vão sendo feitas aos pedaços.

E para fechar a secção, temos o caso de brasileiros que roubaram um banco na Suíça e mandam os dinheiro para o Brasil. É a maior inversão de valores ocorrida nos últimos tempos, creio que mo século. E notem, os assaltantes não eram portugueses.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.