BRASIL UM PAÍS ACOCHAMBRADO.

Segundo o tio Google, a palavra acochambrar “é a arte de fazer com que os outros acreditem que você esta fazendo algo, quando na realidade você não esta fazendo nada.” Essa foi a expressão usada pelo Ministro Moreira Franco, quando da decisão, ou indecisão do Presidente Temer em renunciar.

Vou trazer na integra a matéria que a revista Veja traz em sua edição de 21/6/17. De uns tempos para cá a publicação, em minha opinião, perdeu o rumo que tinha quando os Civitas dirigiam os destinos da revista. Creio que a publicação perdeu em conteúdo, informação e responsabilidade.

No dia 18 de maio, menos de 24 horas após a delação mal explicada dos Batistas vigaristas explodirem a “pax brasilis”. O Presidente Temer, o mais tucano entre os tucanos, foi fazer o seu irado pronunciamento a Nação com dois textos nas mãos. Um onde ele aceitando a ponderação de um grupo de auxiliares estava disposto a renunciar e convocar eleições gerais para novembro.

Em outro texto o Presidente Temer disse o que todos ouvimos. Ou seja, que não renunciaria e iria até o fim do seu mandato em 2018. Estou trazendo o assunto, porque fiquei incomodado com o termo “acochambrar” usado pelo Ministro Moreira Franco. Acochambrar tem bem a cara do ministro e dos que fazem parte do governo. Honestamente acho, e defendo aqui, um mínimo de coerência para levar esse navio chamado Brasil até outubro de 2018.

Só isso. Afinal se conseguirmos aportar esse navio em 2018, teremos tido algum sucesso na empreitada de recuperar o país da sua maldição histórica da corrupção endêmica incrustada nas suas entranhas.

Vamos ter um pouco de consciência com os 14 milhões de desempregados por conta dos desmandos e do comportamento dos governos petistas que, reafirmo, não inventaram a corrupção, mas institucionalizaram o processo de obras & propinas. Segundo dados da Policia Federal, nesses anos de governos petistas, foram desviados algo em torno de 125 bilhões de reais dos cofres públicos.

Mas voltando ao assunto dos dois textos sobre a atitude que o Presidente Temer deveria tomar, segundo fontes da revista, o presidente foi para o púlpito fazer o seu pronunciamento levando os dois textos. O clima entre os seus auxiliares era de absoluta expectativa, uns achando que ele leria o discurso da renuncia e convocação de eleições gerais, outros acreditando que ele concordaria com o Ministro Moreira Franco que dizia “a gente vai levando, vai acochambrando e vamos superar essa crise.”

Como vimos o Presidente Temer optou por dizer que fica e vai terminar seu mandato. Espero que sim, não pelo apego dele ao cargo, ou pela simpatia que não tenho por ele, mas pela responsabilidade de todos os brasileiros para com os destinos do Brasil.

O que mais incomoda é ver a pequenez das pessoas com cargos e responsabilidades perante a Nação, que na realidade estão mais interessadas em seus próprios interesses paroquiais da próxima eleição ou do próximo cargo ou da próxima posição. Inegavelmente somos mesmo um país de acochambrados.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.