E O BENCHIMOL ATINGIU O OBJETIVO. BELEZA, MAS TÔ FORA!

Eu entendo que cada um tenha seu objetivo, Estou convencido que a chamada lei de mercado seja mesmo a melhor forma para a economia avançar, gerar empregos e renda. Todavia me assusta o gigantismo de algumas instituições. Hoje, já é motivo de preocupação para todos os governos, o gigantismo da Apple, do Google e Face book. Seria bom lembrar como o governo americano vem tratando desse assunto desde os tempos de John D. Rockefeller.

Como tratar esse assunto e ainda assim concordar que o livre mercado é melhor forma de crescimento da economia? Trazendo aqui para o nosso campinho, a XP investimentos inovou, desafiou os grandes bancos e ensinou ao pequeno investidor que é possível ganhar dinheiro e ficar longe dos grandes bancos.

Depois de todo esse esforço e ter conseguido um brilhante resultado, vendeu-se para o Itaú, justamente o maior banco privado brasileiro e antítese do que se propunha a XP. Simples, 6.3 bilhões de reais! É uma boa grana, aliás, uma razoável montanha de dinheiro para o jovem Guilherme Benchimol fundador da XP.

Ele fundou a empresa e tem todo direito de fazer com ela o que quiser. Por outro lado eu, um pequeno investidor que fui seduzido peça proposta de ter um serviço mais personalizado e, portanto longe dos grandes bancos, tenho o sagrado direito de dizer, com qualquer grande banco, tô fora! Por que estou fora?

Porque a XP vai acabar ficando igualzinha aos grandes — na real apenas 5 bancos brasileiros. Assim o serviço que era personalizado, vai ficar massivo do jeito que é hoje nos grandes bancos. Os bancos brasileiros tem um mérito, interiorizaram a economia levaram serviços bancários para os mais distantes rincões fazendo com que pessoas simples tivessem acesso a cartões de credito e contas bancárias, facilitando em muito as suas vidas.

Não longe daqui, Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai e outros países da América, pessoas simples como garçons, empregadas domesticas, donas de casa, motoristas de táxi não tem cartões de credito e nem conta em banco. O custo desse investimento foi alto para os bancos, mas a contrapartida é terrível. Temos o sistema bancário mais caro do mundo.

Mas voltando ao assunto, eu entendo que sofrendo desde 2001, a XP vinha investindo no seu projeto, trabalhando duro e em algumas vezes estiveram próximo de quebrar. Inclusive por pressão e concorrência que eu chamo de “incomodativa” aos grandes bancos. Então, é logico que o jovem Guilherme Benchimol queira garantir o seu, e encostar-se no primo rico, o Itaú. Concordo, compreendo e apoio. Mas acho que não vai dar certo. Questão que só o tempo vai nos dizer, mas essa não será mais preocupação do Guilherme.