FELICIDADE OU RESIGNAÇÃO?

A boa noticia da semana não é bem a que eu gostaria. Eu gostaria de festejar a Reforma da Previdência sem os cortes que o próprio governo já providenciou, gostaria de ver a aprovação da Reforma da Trabalhista sem os entulhos que os sindicatos estão propondo. Enfim uma reforma que deixasse o Brasil com mais cara de primeiro mundo.

Mas vejo e sinto que é muito difícil. Assim, a boa noticia da semana é que apesar de tudo, Temos muito esperança, somos os maiores “esperançosos” do mundo. O que faz com que tenhamos esperança eu confesso que não sei, e também não entendo, as explicações são pífias. Mas, temos esperança e dai?

Existe um programa da ONU que mede entre outras coisas, o grau de esperança do povo, esse programa chama-se PNUD, Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento. De acordo com esse programa, Noruega, Suíça, Dinamarca e Austrália aprecem entre os 10 países com melhor IDH do globo. E, nesse caso, é natural que esses povos sejam e aparentem felicidade.

Segundo Saulo Rodrigues Filho, professor e especialista em índices do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília, “Apesar de todas as dificuldades do presente, há uma esperança em um futuro melhor e uma ideia de felicidade mesmo em condições precárias o que pode ser vista também como resignação”.

Vejam leitores, que incrível País esse em que vivemos. Apesar de toda roubalheira, dos transtornos diários em que vive a população, apesar das desavergonhadas atitudes dos nossos dirigentes e do nosso Congresso. Temos esperança!! Como seria bom se todos os envolvidos nos destinos do País, trabalhassem para transformar essas esperanças em realidade.

Quer Brasil maravilhoso teríamos? Creio que essas “esperanças” são percebidas e exploradas pelos dirigentes do Brasil, o que é uma pena. Essa “esperança” visível faz com que os dirigentes acreditam que é possível continuar a explorar a paciência do povo, tratando o Brasil como curral de suas vontades.

Foi assim no passado e continua sendo no presente. Alguns exemplos. Proposta de mudar o sistema de voto no candidato pelo de lista. Ou seja, você votaria na lista do partido e não mais no candidato. Considerando a máquina politica montada no Brasil, estaríamos concordando com a volta das capitanias hereditárias.

A reforma da previdência, já desfigurada pelo próprio Governo, a reforma da tributaria para há anos, a reforma trabalhista, sendo feita aos pedaços o que vai acabar em mais um monstrengo sem pé e nem cabeça. Apesar de tudo isso, o brasileiro se sente otimista, pergunto.

O povo lê? Se informa? Tem algum interesse em sair da velha comodidade acreditando que é possível viver na ilha de prosperidade rodeada por um mar de merda? Não sei, mas não me sinto otimista como a maioria dos brasileiros. Creio que estou me colocando para fora do contexto. Afinal ter esperança em, que? E do que, do futuro? Então vou parar de ler e de ouvir o noticiário.

Like what you read? Give Hiram Souza a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.