O BRASIL DE PENAS E DE LADRÕES DE GALINHA.

Confesso que começo a ficar confuso com o comportamento da nossa justiça. As sentenças exaradas pelos juízes aparentemente não tem nada que ver com o cumprimento da pena. Ou as sentenças dadas no calor dos acontecimentos (julgamento) não tem respaldo na realidade cercearia do País.

O medico estuprador Roger Abdelmassih, condenado a 181 anos de prisão, quando a legislação brasileira diz que ninguém pode ser prezo por mais de 30 anos, segundo normas do Código Penal. Seria interessante que os senhores juízes tomem conhecimento desse fato.

Claro que estou sendo irônico, os juízes sabem da existência do Código Penal e suas limitações. Mas se sabem por que condenar um individuo a 181 anos de prisão se ele só pode ficar no máximo 30 anos?

Outro caso recente, Ana Carolina Jatobá, que comprovadamente jogou pela janela do sexto andar a sua enteada de apenas 5 anos de idade. Creio que todos se lembram do caso de Isabella Nardoni. Que no calor do julgamento televisionado e incensado perla imprensa, todos acharam que foi um crime classificado de hediondo. A pena da assassina foi de 26 anos e oito meses de prisão.

Em minha opinião o crime da Ana Carolina Jatobá, foi pior que o do medico Abdelmassih, por se tratar de um crime contra uma criança absolutamente indefesa, mas a minha confusão não para por aí. Se o medico levou uma pena de 181 anos, a assassina da criança deveria levar pelo menos a metade, ou seja, 90 anos e seus meses de prisão.

Mas só pegou 26 anos e oito meses! Alguém pode me explicar a logica dessas penas? Sem alguém conseguir explicar eu ainda vou continuar confuso. Os dois criminosos estão sendo libertados!!

No caso de Abdelmassih, a Juíza Sueli Armani, concedeu prisão domiciliar, alegando a idade do medico e uma possível doença. Em outras palavras, de cana mesmo, o médico pegou apenas dois anos e dez meses. Para uma pena de 181 anos, ele cumpriu algo em torno de 9,5% da pena máxima de 30 anos dos 181 anos ele passou longe.

Então me explique por que dos 181 anos? Tal estupidez só serve para afrontar a opinião publica, assim como eu, pouco afeita as normais jurídicas. Nem vou entrar nos detalhes do pedido de prisão domiciliar embasado em laudos de médicos presos, um por estupro e outro por extorsão.

No caso de Ana Carolina Jatobá, aquela que arremessou a criança do sexto andar, presa em maio de 2008, portando há mais de nove anos, já cumpriu 34% da pena de 26 anos e oito meses. Ainda assim muito pouco para a gravidade do crime.

Mas a razão de eu trazer esse assunto, é que no Brasil, a cada dia o crime, seja ele qual for, aparentemente compensa. Dos ladrões do erário público ao médico estuprador até a assassina de criança fica claro que ou a justiça esta cega e ligeiramente caduca ou no Brasil o crime de fato compensa. Triste né?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.