O POVO E O BRASIL.

NO JOGO DA SAÚDE, MOSQUITO 7 BRASIL 0

Em 1948, esse seu escrevinhador, morador de Paranaguá, estava tremendo de frio e com febre. Malaria! Aquela época era comum a malaria. Alguns anos depois um razoável sistema foi implantado e a doença, que hoje mata no mundo cerca de 500 mil pessoas por ano, foi mais ou menos controlada.

Ao final do século XIX, Oswaldo Cruz assumiu a direção do Departamento de Saúde Publica. Algo como o atual (?) Ministério da Saúde. Já naquela época começou o processo de combate ao mosquito, sabem o nome dele? AEDES AEGYPTI.

FOTO DO RAPAZ EM 1883

Sim, o mesmo que confundiu a ex-presidente Dilma em seu brilhante discurso no ano passando, sobre as maravilhas da nossa saúde. Precisamos lembrar que esse mosquito desembarcou no Brasil no século XVIII, e pelo jeito lhe concederam cidadania definitiva, e visto de boas-vindas.

Bem, da MINHA malaria, passando pela febre amarela, que foi, mas voltou continuamos na mesma. Muitos recursos, pouco resultado e gente ficando rica. Nem todos, outros só ficando doente e até morrendo.

Me pergunto, é piada de mau gosto? O tal mosquitinho, não estou falando da zona em Paranaguá, vem sistematicamente dando uma surra no Brasil potencia, e oitava economia do mundo!!

Malária, febre amarela, tifo, varíola e por ai vai. Anualmente sabemos com antecedência que epidemia vai ter. Mas os gestores públicos federais, estaduais e municipais, aplicam mais dinheiro em comerciais de TV, do que nas técnicas para erradicar o mosquito.

Honestamente começo a ficar de saco cheiro ao ver a cretina comunicação dos governos, fazendo média com gente morrendo. Além de ser conivente com uma futura geração de deficientes.

Não é possível o Brasil que fabrica e exporta carros de luxo não seja capaz de erradicar um mosquitinho de merda. Fabricar carros de luxo, pode até dar propina, mas o combate exclusivamente televisivo? Esse dá voto.

Como ficarão as crianças com microcefalia? O custo que isso terá no futuro ? Tem coisas no Brasil que acontecem todo ano! O Natal, o Carnaval, as enchentes, as pedras que rolam no Rio e no Estado do Rio.

Sempre a mesma coisa. Quando acontece a imprensa faz um barulho danado, aproveita a audiência da dor alheia, e dos que perdem tudo. As imagens? Vão para os arquivos para que a próxima desgraça esteja bem ilustrada.

Nesse placar, desde 1808 o mosquito vem dando de 7 X 0 na seleção das autoridades brasileiras.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Hiram Souza’s story.