Os americanos conhecem o impeachment?

Como somos um povo “meio desligado” do cotidiano que nos afeta, fico pensando se os políticos tem a exata noção de como as suas posições nos atingem à todos.

Lembro que no processo de impeachment da Presidente Dilma Rousseff, havia os prós e os contras, o bate boca nas redes sociais, na imprensa, nos bares, e nas redes sociais foram esquentando e chegaram a níveis de acabar com velhas amizades, namoros, parentesco e até sérias rusgas familiares.

Até aqui eu estava debitando essas confusões, ao nosso “espírito latino”, muito italiano, espanhol na miscigenação no pedaço brasileiro. Todos, exemplos de sangue quente. Ocorre que após ver o resultado das eleições americanas e as suas consequenciais, fico me perguntando se de fato problema é apenas cultural ou se estamos entrando na era do inconformismo e pouca tolerância?

E os políticos, o que tem a ver com isso? Em ambos os casos, Brasil e Estados Unidos, houve um forte apêlo emocional na campanha que causou uma divisão no comportamento dos americanos. Da mesma forma que causou no Brasil.

No Brasil, os argumentos prós e contras se restringiram ao comportamento do partido no poder por 13 anos, o PT, e suas consequência na vida das pessoas. O desemprego! Nos Estados Unidos, no fundo, bem lá no fundo, o problema é mais ou menos o mesmo.

Aqui desemprego gerado por má gestão. Lá, desemprego gerado por razões muito parecidas, fuga de empregos para outros países e/ou acôrdos comerciais que levaram a esse fato. Desemprego! Talvez boa parte dos leitores não saibam, mas existe uma Lei americana criada há mais de 40 anos, chamada “Lei da Maquila”, ou seja na tentativa de segurar os mexicanos em seu próprio território, os Estados Unidos incentivaram suas montadoras a produzir carros no México.

Mão de obra mais barata que a americana, o que gerava a oportunidade de produzir carros também mais baratos, com impostos reduzidos. Desta forma, gerava empregos no México e evitava a forte emigração mexicana para os Estados Unidos.

Isso vem funcionando há muito tempo e nunca ninguém reclamou, até porque emprego por lá, em função do sistema trabalhista americano, sempre foi de pleno emprego. Ocorre que com a crise gerada pela bolha imobiliária, começou a faltar emprego para todo mundo.

O pessoal do Trump, detectou esse ponto e foi em cima desse discurso que ele acabou ganhando a eleição. O problema é que gerou uma grave cisão no País, que não era vista há muito tempo. Os governos americanos sempre se veem as voltas com problemas internos gerados por suas posições políticas.

Desde a guerra da Coreia, passando pelo Vietnã, o envio de suas tropas para guerras alheias criam nos Estados Unidos posições radicais de setores norte-americanos. Nesse caso, o discurso do Trump, esta levantando um problema maior quer o de brancos e negros, o discurso do Trump levou a classe média branca e conservadora a pensar o que fizeram com meu emprego?

Isso atingiu fortemente o stablishment americano. Honestamente não tenho medo do que o novo governo irá fazer, tenho muito medo do que o discurso do presidente Trump JÁ fez, na cabeça dos americanos.

Aqui os ânimos estão se acalmando em função da mídia estar informando massivamente os desmandos e aparelhamento da maquina pública, o que gera uma insatisfação com o PT, mas lá, o discurso do Presidente Trump mexeu com conceitos antigos e arraigados dos americanos.

Isso sim me preocupa, como acomodar o comportamento dos americanos que se sentem desamparados pelos governos democratas, qual será o comportamento do Governo Trump para acomodar esses sentimentos de nós contra eles? Sentimentos perigosos.